Composição 1_1
Composição 1_1

Nesta quarta-feira (4), o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) denunciou cinco pessoas por envolvimento em crimes de organização criminosa, fraudes licitatórias, fraudes contratuais, corrupção ativa e passiva, coação no curso do processo e roubo na comarca de Bariri.
A denúncia encerra a primeira etapa das investigações e decorre de cumprimento de mandados de busca e apreensão cumpridos pelo Gaeco no mês de agosto.
O Poder Judiciário recebeu a denúncia nesta quinta-feira (5), tornando os investigados réus na ação. São eles: Paulo Ricardo Barboza, Abílio Giacon Neto, Alexandre Gonçalves, Flávio Muniz Dalla Coletta e Giuliano Griso.
Também nesta quinta-feira, os três primeiros citados tiveram a prisão preventiva decretada, sendo Paulo e Abílio empresários e Alexandre m oficial da Polícia Militar. Eles já estavam detidos em virtude de mandados de prisão temporária anteriores.
Além disso, um dos alvos foi exonerado de cargo público, ficando proibido de exercer qualquer cargo ou função pública, se ausentar da comarca e se comunicar com agente público, devendo ainda permanecer em recolhimento domiciliar noturno.
Também atendendo a pedido do Ministério Público (MP), a Justiça determinou sequestro e bloqueio de todos os envolvidos no total de R$ 11 milhões, para futura recomposição ao patrimônio público. A medida atinge contas bancárias, veículos e imóveis.
A denúncia aponta que o esquema era formado por um grupo que fraudava procedimentos licitatórios para direcioná-los a pessoas determinadas. O esquema envolvia também incrementos contratuais a fim de maior lucratividade, permitindo que os envolvidos fossem pagos mesmo sem terem executado os serviços. As autoridades identificaram pagamentos de propinas e coação de testemunhas, que tiveram celulares roubados durante as investigações.

Fonte: Ministério Público de São Paulo

Leia mais

Caso Latina: advogados se manifestam sobre ação do Ministério Público

Caso Latina: MP oferece denúncia criminal contra 5 pessoas em Bariri

Bariri: Defesa de Abílio Giacon rebate MP e pede segredo de Justiça