Slider

Em 2019, o município de Bariri registrou índice pluviométrico de 1.068,5 mm, bem abaixo do nível médio anual que é de 1,511,03 mm. Os dados são coletados pela Della Coletta Bioenergia (DCBio) desde o ano de 1995.
O índice é o menor dos últimos cinco anos. Somente em 2014, com 933,8 mm, Bariri registrou volume menor de chuvas.
Um dos fatores que contribuíram para o baixo volume de água em 2019 é que em dezembro choveu muito pouco. Enquanto a média para dezembro desde 1995 é de 224,22 mm, no último mês desse ano choveu 92,0 mm.
O volume é um pouco melhor que em 2018, quando o mês de dezembro registrou um dos menores índices dos últimos 25 anos: 24,5 mm. (confira no quadro).

Muito calor, pouca chuva

Segundo o Climatempo, o verão 2019/2020 está sendo uma estação sem El Niño e também sem La Niña, fenômenos oceânicos-atmosféricos que ocorrem na porção central e leste do oceano Pacífico Equatorial, e que, quando se manifestam, interferem na chuva e na temperatura do Brasil e de outros países da América do Sul. Tecnicamente dizemos que o verão 2019/2020 registra uma situação de neutralidade no Pacífico Equatorial.
Por isso, a previsão é a de que neste ano e no ano que vem, a estação mais quente virá com tudo, trazendo muito calor e pouca chuva. A nova estação se iniciou no Hemisfério Sul dia 22 de dezembro, domingo, à 1h19, e vai até 0h50 do dia 20 de março de 2020.
De acordo com o meteorologista Piter Scheuer, o verão será marcado por temperaturas elevadas e predomínio do tempo seco. “Durante os meses de dezembro, janeiro, fevereiro e março a precipitação pluviométrica vai ficar abaixo da média”, afirma.
A estação contará com algumas pancadas de chuva típicas de verão, favorecidas pelo calor e pela umidade. “Muitas vezes esses episódios de calor forte podem favorecer aquelas trovoadas que vem tipicamente no final da tarde e à noite”, explica o meteorologista.
Algumas noites e manhãs poderão ter temperaturas mais baixas. “Terão pelo menos três
frentes frias serão registradas no mês de dezembro, o que vai influenciar indiretamente em toda a região. Nos meses de janeiro e fevereiro pode haver a influência do sistema de baixa pressão”, diz.

Fonte: Climatempo e Portal Di (Diário do Iguaçu)

Chuvas anuais em Bariri

Ano                   Quantidade (mm)

1995                  1.525,0

1996                  1.300,0

1997                  1.822,0

1998                  1.705,0

1999                  1.466,0

2000                  1.872,0

2001                  1.567,0

2002                  1.480,0

2003                  1.516,5

2004                  1.592,0

2005                  1.583,0

2006                  1.295,0

2007                  1.467,0

2008                  1.446,5

2009                  2.153,5

2010                  1.557,5

2011                  1.549,6

2012                  1.482,0

2013                  1.570,0

2014                  933,8

2015                  1.626,5

2016                  1.558,5

2017                  1.474,0

2018                  1.165,0

2019                  1.068,5

Média anual      1.511,03

Fonte: DC Bio

Chuvas no mês de dezembro em Bariri

Período                       Quantidade

Dezembro/1995          275,0

Dezembro/1996          186,0

Dezembro/1997          195,0

Dezembro/1998          413,0

Dezembro/1999          217,0

Dezembro/2000          200,0

Dezembro/2001          215,0

Dezembro/2002          257,0

Dezembro/2003          162,0

Dezembro/2004          215,0

Dezembro/2005          270,0

Dezembro/2006          235,0

Dezembro/2007          212,5

Dezembro/2008          212,5

Dezembro/2009          324,5

Dezembro/2010          430,0

Dezembro/2011          131,0

Dezembro/2012          315,5

Dezembro/2013          220,5

Dezembro/2014          154,0

Dezembro/2015          214,0

Dezembro/2016          266,5

Dezembro/2017          168,0

Dezembro/2018          24,5

Dezembro/2019          92,0

Média do mês             224,22

Fonte: DC Bio