Slider

A semana que passou registrou boas notícias em Bariri em relação aos casos suspeitos do novo coronavírus (Covid-19). Houve melhora do paciente que testou positivo para a doença e resultados negativos para casos suspeitos e para profissionais da saúde em Bariri.

As informações são do interventor da Santa Casa de Bariri, Marco Antonio Gallo, que integra o Comitê de Prevenção e Enfrentamento ao Covid-19.

O morador de Bariri de 37 anos que testou positivo para o coronavírus (Covid-19) apresentou melhora em seu quadro de saúde na terça-feira, dia 31.

Internado no Hospital Estadual de Bauru, ele foi retirado dos aparelhos para ventilação mecânica e passou a respirar normalmente.

O homem foi internado na Santa Casa de Bariri no dia 22 de março. Por ter diabetes descompensada e ter apresentado piora no quadro de saúde, foi transferido para Bauru.

A transmissão do vírus teria ocorrido pelo contato com irmão que reside na Inglaterra.

Após o pedido do exame para testar a presença ou não do Covid-19, os familiares foram orientados a permanecer em quarentena.

Foi colhido novo exame para contraprova no Instituto Adolfo Lutz. Somente após o resultado desse exame é que a Secretaria Estadual da Saúde irá contabilizar o caso como positivo ou negativo.

Gallo relatou que quatro funcionários da Santa Casa também testaram negativo para o coronavírus. Eles foram alguns dos profissionais que tiveram contato com o paciente internado em Bauru.

Segundo o médico, isso demonstra que os equipamentos de proteção individual (EPIs) usados no hospital estão tendo boa eficácia para evitar o contágio.

 

Negativos

 

A jovem de 26 anos que morreu na Santa Casa de Bariri na noite de sábado, dia 28, testou negativo para o novo coronavírus, conforme informação divulgada à imprensa anteontem, dia 2.

Ela deu entrada no pronto-socorro (PS) no mesmo dia com dificuldade respiratória grave. Tinha asma grave e era tabagista.

No PS a paciente teve parada respiratória. Foi entubada e levada à UTI pelo médico plantonista. Gallo foi chamado para dar apoio.

A mulher foi colocada no ventilador e teve discreta melhora, mas não respondeu aos medicamentos, tendo várias paradas respiratórias.

Gallo diz que foi colhido exame para Covid-19 e H1N1. Pelo exame de raio X não seria possível ter um indicativo de coronavírus.

Familiares informaram que a mulher não estava saindo de casa e que não teve queixa de febre.

O baririense de 79 anos que morreu no dia 22 de março em Jaú testou negativo para a doença. A informação foi divulgada na quarta-feira, dia 1º.

O homem foi transferido para a Santa Casa de Jaú com problema respiratório grave de base (fibrose pulmonar).

Houve coleta de material para exame em Jaú porque ele se enquadrava entre casos suspeitos do Covid-19.

Na segunda-feira, dia 30, foi divulgada a informação de que a mulher de 25 anos residente em Itaju testou negativo para coronavírus. Ela teve alta da Santa Casa de Bariri no domingo, dia 29.

Havia sido internada na UTI do hospital baririense. Como apresentou melhora acentuada no exame de raio-X e foi liberada para cumprir quarentena familiar.

 

Santa Casa altera realização de exames

 

O interventor da Santa Casa de Bariri, Marco Antonio Gallo, que integra o Comitê de Prevenção e Enfrentamento ao Covid-19, diz que houve mudança na realização de exames para comprovação ou não do novo coronavírus de pacientes que dão entrada na rede municipal de Bariri (unidades da prefeitura ou pronto-socorro).

Segundo ele, os casos suspeitos aumentaram bastante e tiveram resultado negativo. Por esse motivo, a conta estava ficando alta para a prefeitura de Bariri, que arca com os custos para realização de exames em laboratório particular.

A partir de agora Bariri segue o protocolo do Ministério da Saúde. Os casos suspeitos (com sintomas) são encaminhados ao Instituto Adolfo Lutz. Nesse caso, para os funcionários da saúde o resultado sai em cinco dias. Para os pacientes internados com suspeita e casos leves e moderados a demora é em média de 15 dias.

Para pacientes em estado grave a prefeitura continuará a arcar com o custo em laboratório particular. De acordo com Gallo, dessa forma é possível direcionar o dinheiro para urgências e tratamento da própria doença.

As unidades regionais do Instituto Adolfo Lutz que ficam em Sorocaba, Bauru e Rio Preto, além de Santo André e Ribeirão Preto, estarão habilitadas a processar amostras de exames para testar coronavírus.

De acordo com o governo estadual, a ideia é aumentar a rede de testes. Com isso, os institutos poderão ter capacidade de 500 exames por dia em um primeiro momento, podendo chegar a até mil.