Slider

Croqui mostra como ficará a divisão de salas e sanitários após as obras – Divulgação/Prefeitura de Bariri

Alcir Zago

A prefeitura de Bariri publicou licitação para obras de reforma e adaptação de parte do 1º andar do prédio do Hospital São José, conhecido como Elefante Verde e pertencente à Santa Casa de Bariri.

O valor do serviço é estimado em R$ 753,4 mil, com encerramento da disputa marcado para o dia 13 de outubro.

Conforme o decreto da prefeitura de Bariri nº 5.469, de 8 de setembro, foi aberto crédito adicional extraordinário no valor de R$ 760 mil para a obra. O dinheiro foi remetido ao Executivo municipal pelo governo federal para enfrentamento da pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

De acordo com o prefeito Francisco Leoni Neto (PSDB), parecer aponta que o dinheiro do Covid-19 pode ser utilizado para obras de reforma, mas não para construção de nova unidade.

Ele informa que o ambulatório criado para o novo coronavírus, instalado atualmente no Centro de Saúde Constantino Galízia, será transferido para o 1º andar do Hospital São José quando as obras estiverem concluídas.

Dessa forma, os atendimentos médicos que foram remanejados para outras unidades de saúde do município poderão voltar a ser feitos no Centro de Saúde.

O prazo para execução dos serviços será de 60 dias, contados da data do recebimento da ordem de serviço, podendo ser prorrogado por mais 30 dias corridos. São contempladas obras para construção de salas, sanitários e sanitário acessível, serviços elétrico e hidráulico.

Por meio do contrato de locação nº 8, de 2020, assinado em 22 de setembro, a prefeitura de Bariri locou parte da estrutura do hospital São José junto à Santa Casa pelo período de dois anos. O valor mensal do aluguel é de R$ 1,5 mil.

 

Diretoria

 

Em janeiro deste ano, Neto Leoni disse em entrevista ao Facebook do Candeia que havia determinado a elaboração de projeto para ocupação do andar térreo do Hospital São José.

Na ocasião, ele disse que a ideia era reformar esse setor até o fim de 2020 para que recebesse a Diretoria Municipal de Saúde e a Central de Ambulâncias.

Segundo o prefeito, a mudança permitiria um ganho logístico para diversos procedimentos na área da Saúde devido à proximidade entre o hospital, o pronto-socorro e os setores municipais.

Neto Leoni defendeu a ideia de que fosse feito planejamento futuro para a utilização escalonada de outros andares do hospital, que nunca entrou em funcionamento mesmo após ter recebido milhões de reais do governo federal para a construção do prédio. O pronto-socorro, por exemplo, também poderia ser transferido para o imóvel.

 

Decretos

 

No fim de 2019 a prefeitura publicou decreto para declarar de utilidade pública o prédio que abrigaria o Hospital São José.

Na ocasião, o prefeito ressaltou que como já havia sido tomada a mesma providência para o imóvel da Santa Casa, em conformidade com os diretores da entidade, foi publicado o decreto referente ao Hospital São José para salvaguarda do local.

O objetivo era impedir possível leilão do complexo para quitação de dívidas contraídas pela Santa Casa e antigas filiais administradas pela Organização Social (OS) Vitale Saúde.

Em janeiro de 2018 o então prefeito Paulo Henrique Barros de Araujo assinou decreto declarando de utilidade pública o prédio da Santa Casa, na época pertencente à Vitale.

Esse imóvel mede 3,8 mil metros quadrados (m²) e situa-se na Avenida Antonio José de Carvalho, 409. No prédio funcionam serviços hospitalares de internação e realização de exames e pronto-socorro.

Na ocasião, a administração municipal informou que tomou a decisão com base no Decreto-Lei nº 3.365, de 21 de junho de 1941, legislação que trata das desapropriações por utilidade pública. No caso do hospital baririense, o intuito era a conservação de serviços públicos.

Em abril do ano passado Neto Leoni assinou decreto para declarar de utilidade pública o prédio que abriga o Museu Mario Fava, situado na Rua Tiradentes, no centro da cidade.