Slider

Procedimento cirúrgico foi realizado no dia 18 de dezembro no hospital jauense – Divulgação

O Hospital Amaral Carvalho (HAC) realizou em seu centro cirúrgico no dia 18 de dezembro o primeiro procedimento de radiofrequência para ablação de nódulos de tireoide.
A técnica inovadora permite o tratamento de nódulos benignos grandes com procedimento minimamente invasivo, rápido e com menos riscos ao paciente.
De acordo com o médico cirurgião de Cabeça e Pescoço do Hospital Vera Cruz de Campinas, José Higino Steck, considerado o pioneiro da técnica no Brasil, a radioablação evita cirurgias para tratamento de células cancerígenas benignas.
“Evitamos cortes e exposição do paciente a riscos maiores. Além disso, não é necessário tirar a glândula, descartando a obrigatoriedade de reposição hormonal”, comentou o especialista.
A técnica também evita a internação e o paciente recebe alta logo após o término. A estimativa é que o tratamento custe cerca de um terço do valor atual de uma cirurgia convencional para o mesmo fim.
Segundo Steck, o equipamento emite ondas de radiofrequência para ablação do tecido, tornando a célula inativa. O nódulo tende a diminuir no prazo de até seis meses. O procedimento pode ser realizado em outras áreas como no fígado, pulmão e ossos.
O cirurgião de Cabeça e Pescoço do HAC, João Fanton Neto, nascido em Bariri, participou do procedimento.
“É importante destacar que preservamos a função da glândula e evitamos tireoidectomias desnecessárias.”
Além deles, participaram da intervenção o também médico cirurgião Éder Faulin, o médico residente Rônei Jorge Santos da Silva, representantes da empresa NeuroMedic, responsável pela parte instrumental do procedimento, e enfermeiras do hospital.

Inovação

Fanton Neto ressalta a importância de investir em inovações para oportunizar melhores resultados aos pacientes.
“Achei o procedimento fantástico. A técnica mostra que estamos em uma crescente, com melhores tratamentos. E isso só foi possível, pois a diretoria do HAC nos ajudou. É preciso agradecer a oportunidade de trazer essa tecnologia para cá”, destaca.

Fonte: Assessoria de imprensa do HAC