Composição 1_1
Composição 1_1

O câncer de mama é o que mais atinge mulheres no Brasil e no mundo. Todos os anos cerca de 57 mil mulheres são diagnosticadas e, desse total, 98% são curadas, quando o tumor é descoberto no início e o tratamento é imediato ao seu aparecimento.
O diagnóstico precoce e o tratamento realizado corretamente dão à mulher uma nova certidão de nascimento e a certeza de que vida nunca mais será a mesma, pois os horizontes se ampliam e os valores se fortalecem.
Diante desse cenário, algumas mulheres de Bariri e região se organizaram em um grupo chamado “Amigas do Peito”, que é originário de outro que existe em Jaú, pela iniciativa de Roberta Polônio.
A ideia é cultivar a conscientização e divulgação de que o câncer de mama tem cura. Buscar o acolhimento de todas que já fizeram ou estão fazendo o tratamento, de forma a ser suporte uma da outra. “O objetivo é viver o companheirismo no sentido literal de comer o pão juntas e acreditar que juntas somos mais fortes”, destaca Dinorá Mussegante, que integra o grupo.

Etapas e cura

As mulheres dentro do grupo já tiveram ou têm câncer de mama e afirmam que a doença já não é mais uma sentença de morte. Diante dessa constatação, o câncer de mama deixa de ser tão assustador. Mas, o que é necessário para compreender isso no dia a dia?
Segundo as voluntárias, em primeiro lugar, é preciso acreditar que isso pode acontecer com qualquer mulher, mas como assusta demais, muitas recusam a ideia de que possam ser portadoras de tumor maligno. Dessa forma, postergam a realização do autoexame. Essa atitude, muitas vezes, provoca a perda de um tempo precioso para o início do tratamento.
O segundo ponto essencial é, em caso de haver a suspeita, procurar imediatamente um mastologista. Feito o diagnóstico, é necessário encarar que haverá um período com grandes desafios como: cirurgia; perda de cabelos, que voltam a nascer quando encerrados os ciclos de quimioterapia; enjoos; cansaço; alimentação diferenciada; entre outros sintomas.
Tudo isso leva um tempo e o apoio dos familiares nesse estágio do tratamento é muito importante, pois o equilíbrio emocional da mulher se altera e ela tende a se desestruturar.
A próxima etapa do tratamento é a reconstrução da mama. Depois, há o tratamento coadjuvante feito com o uso de comprimidos por 05 ou 10 anos, em alguns casos. E, finalmente, receber alta.
Se alguém passa por alguma das etapas desse processo e quer ser uma “Amiga do Peito”, é só entrar em contato com o grupo pelo Whatsapp (14) 98141-5138 e vai receber apoio acolhedor.

A ideia é cultivar a conscientização de que o câncer de mama tem cura. Se alguém quer ser uma “Amiga do Peito”, é só entrar em contato com o grupo: (14) 98141-5138

Da redação