Slider

Gazzetta e mais 30 prefeitos participaram da videoconferência – (Foto:Facebook/Divulgação)

Terça-feira, 28, exatos 31 municípios do Estado se reuniram por videoconferência com o governador João Doria (PSDB). O objetivo foi orientar prefeitos sobre reabertura de estabelecimentos não essenciais por fases e regiões.

Segundo o governo, a reunião virtual foi realizada para ampliar o diálogo com os municípios e dar mais transparência aos parâmetros do Plano São Paulo, que prevê a possibilidade de reabertura de comércios e serviços não essenciais a partir do dia 11 de maio.

Muitos chefes do Executivo municipal defenderam a tomada de decisões no processo de reabertura comercial considerando fatores regionais de cada localidade.

Para o governo, o panorama de disseminação do coronavírus no Estado de São Paulo exige cautela. Após balanço na tarde desta terça, eram 24.041 casos confirmados e 2.049 mortes. Das 645 cidades paulistas, 305 tiveram pelo menos um caso da doença. Do total de infectados, 8.644 foram detectados em cidades do interior, litoral e Região Metropolitana da capital.

O governo do Estado sinalizou que cidades com o índice de isolamento entre 60% e 70% serão as com mais oportunidades de flexibilização do que outras quando a reabertura gradual ocorrer.

Doria fez duras críticas às cidades que tentaram flexibilizar a quarentena de forma independente, mas também agradeceu aos prefeitos pelo achatamento da curva no Estado.

Ao longo da reunião, prefeitos de cidades com mais de 200 mil habitantes, incluindo as sedes das regiões administrativas do Estado, receberam informações sobre a situação geral de infecções e óbitos pelo coronavírus. Em seguida, Doria e a equipe técnica apresentaram um detalhamento dos regramentos que vão nortear a flexibilização da quarentena em São Paulo.

Participaram da reunião os Secretários de Estado Marco Vinholi (Desenvolvimento Regional), Patricia Ellen (Desenvolvimento Econômico), José Henrique Germann (Saúde) e Célia Parnes (Desenvolvimento Social), além do Coordenador do Centro de Contingência do coronavírus, David Uip.

A reunião virtual reuniu governador, secretários e prefeitos de 31 municípios através de videoconferência – Divulgação

Bauru e região

 

Na reunião, o governo paulista apontou que planeja dividir as regiões e classificá-las em faixas de acordo com o risco de contaminação da Covid-19. O anúncio oficial dos critérios e do plano de reabertura deve ser anunciado em 8 de maio.

Considerado um dos polos para disseminação da epidemia, Bauru têm mantido a média de isolamento em 45% no Sistema de Monitoramento Inteligente de São Paulo, que realiza o balanço captando sinais de celulares. Segunda, 27, o índice era de 42%. A taxa de 50% é superada apenas aos domingos e ainda assim é tida como abaixo da ideal, que é 60%.

Na reunião, o prefeito de Bauru, Clodoaldo Gazzetta, usou seu tempo para cobrar o Estado sobre a abertura dos 27 leitos de UTI na cidade e do Hospital das Clínicas (40 leitos de média e baixa complexidade), além de pedir que seja estabelecida uma melhor metodologia para a testagem da população. “Estamos reféns de equipamentos para os novos leitos, mas eles devem chegar dentro do prazo combinado, faltam cerca de 12 dias”, afirmou

Segundo Gazzetta, quarta-feira, 29, ocorreu reunião com a Secretaria de Estado de Saúde e a Famesp e eles mostraram projeto para a abertura do HC e dos 27 leitos, com custo e contratações, além de um cronograma.

Hoje, Bauru possui 82 UTIs ativas nas redes pública e particular.

 

Fontes: Assessoria de Imprensa da Secretaria Especial de Comunicação e JCNet