Slider

Divulgação

A Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza, o vírus da gripe, começa no dia 12 de abril e vai até 9 de julho. Neste ano, a vacinação vai começar por crianças, gestantes, puérperas, povos indígenas e trabalhadores da saúde. Depois, será a vez dos idosos e dos professores.

Neste ano, a campanha coincide com a vacinação da Covid-19. Por isso, é preciso ficar atento. A orientação dos especialistas e do Ministério da Saúde é: quem já tomou a primeira dose da vacina contra o coronavírus deve esperar para receber a segunda dose e depois aguardar no mínimo 14 dias para tomar a vacina contra a gripe.

 

Importância da vacinação

 

O ministério diz que a imunização contra a gripe é extremamente importante para a proteção dos grupos mais vulneráveis às complicações e óbitos decorrentes da doença, por isso deve ser mantida apesar de todos os desafios frente à circulação do novo coronavírus.

Segundo a pasta, a imunização contra a gripe vai prevenir o surgimento de complicações decorrentes da doença, óbitos, internações e a sobrecarga nos serviços de saúde, além de reduzir os sintomas que podem ser confundidos com os da Covid-19.

 

Três etapas de vacinação

 

Os grupos prioritários serão distribuídos em três etapas, de forma escalonada. A campanha nacional de imunização contra a gripe será distribuída em três etapas, de forma escalonada:

  • 1ª etapa – de 12 de abril a 10 de maio: crianças, gestantes, puérperas, povos indígenas e trabalhadores da saúde (25,2 milhões de pessoas)
  • 2ª etapa – de 11 de maio a 8 de junho: idosos e professores (32,8 milhões de pessoas)
  • 3ª etapa – de 9 de junho a 9 de maio: demais grupos prioritários (21,7 milhões de pessoas)

 

Grupos prioritários

 

  • Crianças de seis meses até cinco anos;
  • Gestantes;
  • Puérperas (que tiveram filhos há até 45 dias);
  • Professores das redes pública e particular;
  • Profissionais da saúde;
  • Idosos com mais de 60 anos;
  • Motoristas e caminhoneiros.