Slider

Segurança para a família: se os índices de infecção continuarem a cair e a adesão à vacinação seguir firme, a projeção é que todas as restrições sejam banidas em meados de junho – Divulgação

Segundo Aline, para as crianças, mesmo com os protocolos de segurança, foi uma alegria voltar à rotina escolar e poder brincar com os amigos – Divulgação

O Candeia acompanha a vida da baririense Aline Cavallieri Michiellin, 44 anos, em Los Angeles, no estado da Califórnia (EUA), onde reside com a família – o marido Péricles, e os filhos, Rafael, 9, e Mila, 6. Ela tem relatado como eles vêm enfrentando as diferentes etapas da pandemia de Covid-19 em terras norte-americanas.

Nesta edição, ela conta os avanços obtidos com o plano de imunização do país e como a estrutura bem sucedida de aplicação de vacinas, tem possibilitado a retomada de algumas atividades, em especial a social, a escolar e, de forma mais lenda, a econômica.

Felizmente, ela relata, depois de um inverno difícil em janeiro, com tudo fechado e hospitais lotados, o número de novos casos de Covid-19, em Los Angeles, despencou em fevereiro. Agora são três novos casos confirmados para cada 100 mil habitantes, ou seja, são números equivalentes ao mês de janeiro de 2020. “Hoje o Estado da Califórnia tem o menor índice de infecção do país”, destaca.

 

Imunização e distanciamento

 

Segundo ela, a campanha de imunização se intensificou no início do ano e, a partir de 15 de abril, a vacina foi liberada para todas as pessoas acima de 16 anos. “É realmente bonito de se ver a estrutura que montaram na cidade para deixar a vacina acessível”, diz a baririense.

Relata que foram feitas parcerias com farmácias e aproveitaram as estruturas de estacionamento de estádios de futebol e beisebol, parques de diversão, hospitais e até de shopping centers para a criação de centenas de pontos de vacinação. “E são centenas mesmo; não é modo de falar”, confirma.

Diz que até a semana passada, era preciso fazer o agendamento online; agora, em vários lugares, é só aparecer e entrar na fila. A facilidade impressiona. “No site da campanha, digitando o seu CEP, você encontra não só os locais de vacinação próximos à sua residência, como também a marca da vacina que está sendo aplicada em cada lugar”, explica.

Apesar do bom andamento da pandemia, as restrições de circulação e a obrigatoriedade do uso de máscara ainda continuam em vigor no seu estado. Estabelecimentos comerciais como shoppings, lojas de departamento e restaurantes podem operar com a capacidade reduzida e seguindo as regras de distanciamento.

Segundo ela, se os índices de infecção continuarem a cair e a adesão à vacinação seguir firme, a projeção é que todas as restrições sejam banidas em meados de junho. “Em Los Angeles, 48% das pessoas já tomaram a primeira dose e 32%, a segunda”, conta.

 

Volta às aulas e vida social

 

As crianças também voltaram às aulas, ainda não em tempo integral como antes da pandemia, mas já por algumas horas e com algumas restrições. Os alunos permanecem em um mesmo grupo o dia todo e não se misturam com outras turmas. Fazem a higienização das mãos constantemente, usam máscara e são testados semanalmente para a Covid-19. “Felizmente, desde o retorno, não apareceu nenhum caso positivo na escola”, cita.

Segundo ela, para as crianças, mesmo com os protocolos de segurança, foi uma alegria voltar à rotina escolar e poder brincar com os amigos. “E foi um baita alívio para mim, pois foi bastante puxada a época das aulas online; as mães do mundo inteiro merecem uma medalha de ouro; não foi fácil para ninguém”, pondera.

De acordo com a baririense, o que fez muita diferença, também, foi a reabertura dos parques para a prática de esportes coletivos, depois de mais de um ano fechados. As ligas de futebol e beisebol voltaram a todo vapor e são intensas as atividades em parques. “Claro que todo mundo ainda continua um pouco distante e com máscara”, ressalta.

 

Nem tudo é festa

 

Mas, apesar desse clima de euforia com a vacinação e o baixo número de casos, nem tudo é festa.  Muitas pessoas perderam emprego ou negócios e estão endividadas. Circulando pela cidade, veem-se muitos estabelecimentos comerciais fechados, principalmente restaurantes.

Os governos federal e estadual fizeram vários pacotes de auxílio financeiro para as famílias e pequenas e médias empresas, mas, mesmo assim, algumas sofreram muito com o impacto que a restrição de circulação provocou. “A economia, agora, já está apresentando sinais de retomada e, com isso, a esperança é que todos se reestabelecem de uma maneira ou outra”, acredita.

Para Aline, depois de um pouco mais de um ano de pandemia, parece que a luz no fim do túnel está cada vez mais próxima. A conversa com os amigos gira em torno da vacina (que vacina tomou, que lugar, qual a reação que teve) e da contagem regressiva para nos reunirmos pessoalmente.

“Está todo mundo esperando completar os quinze dias depois da segunda dose; alguns já chegaram lá e outros ainda não. A grande torcida é que não apareça nenhuma surpresa que nos obrigue a dar um passo para trás”, finaliza.