posto-santa-lucia-novo-2017
Banner-Lista-Candeia
Banner-online
WhatsApp Image 2020-07-06 at 08.28.31
Banner-Cep

O governo de São Paulo aprovou os estudos para a concessão de novo lote rodoviário com aproximadamente 1.000 quilômetros de pistas, incluindo o trecho atualmente sob operação da concessionária Centrovias, cujo contrato termina em junho do ano que vem.

Estudos preliminares apontam para investimentos de R$ 9 bilhões na nova concessão. Grande parte das principais obras previstas está em trechos que atualmente são administrados pelo Departamento de Estradas de Rodagem (DER). É o caso da SP-261 (Rodovia Cesar Augusto Sgavioli e Rodovia Braz Fortundato). As estradas ligam Bariri a Pederneiras, passando por Boraceia.

Outros trechos atualmente administrados pelo DER incluem a SP-294 (Rodovia Comandante João Ribeiro de Barros), SP-304 (Rodovia Luiz de Queiroz, Rodovia Geraldo de Barros e Rodovia Deputado Amauri Barroso de Souza) e SP-308 (Rodovia Hermínio Petrim). A Rodovia Leônidas Pacheco Ferreira (SP-304), que passa por Bariri, não está incluída nos estudos.

Conforme o relatório, estão previstas a duplicação de cerca de 120 quilômetros da SP-294 entre Marília e Parapuã, implantação de barreira central e melhoria do acostamento em 100 quilômetros da mesma rodovia entre Parapuã e Paulicéia, duplicação de 95 quilômetros da SP-304 entre São Pedro e Jaú, além de 6 quilômetros de duplicação na SP-308, na região de Charqueada. Com isso, novas praças de pedágios deverão ser instaladas.

Centrovias

O trecho atualmente administrado pela Centrovias também terá novos investimentos, sendo que as principais intervenções ocorrem na SP-310 entre Cordeirópolis e São Carlos.

Também são contemplados segmentos da SP-225 (Rodovias Engenheiro Paulo Nilo Romano e Rodovia João Ribeiro de Barros) e da SP-310 (Rodovia Washington Luís).

Os estudos preliminares projetam cerca de 220 quilômetros de duplicação, 100 quilômetros de barreira central, 75 quilômetros de faixa adicional e 15 quilômetros de marginais. Somente com estas obras, estima-se R$ 1,3 bilhão em investimentos para sua realização.

Além de ampliação e recuperação do sistema rodoviário, o projeto prevê benefícios aos usuários como redução de até 22% na tarifa quilométrica cobradas atualmente, desconto real de 5% no preço da tarifa para quem utilizar o pedágio automático (tag eletrônico), e, ainda, um pacote de modernização adotado nas últimas concessões em relação ao atendimento ao usuário, incluindo implantação de rede wi-fi ao longo de todo o trecho concedido, possibilidade contratual de implantação do sistema Ponto a Ponto – o modelo de cobrança de tarifa por trecho percorrido, já implantado em quatro rodovias estaduais, e a tarifa flexível.

Jaú-Barra é objeto de consulta pública

A Câmara Municipal de Jaú disponibilizou em sua página na internet uma consulta pública para colher dados sobre a utilização da Rodovia SP-255 no trecho que liga as cidades de Jaú e Barra Bonita, onde haverá cobrança de pedágio já a partir do mês de novembro deste ano.

Para participar, basta acessar o endereço eletrônico do legislativo jauense (www.camarajau.sp.gov.br), clicar no “link” que direciona para o formulário e fornecer informações pessoais básicas, como nome completo e número do Cadastro da Pessoa Física (CPF). Os interessados terão até o dia 30 de setembro de 2018 para participar.

Todos os cidadãos que utilizam a rodovia no trecho entre Jaú e Barra Bonita estão convidados a participar. Entre as questões apresentadas estão a quantidade de vezes que a rodovia é utilizada, qual o tipo de veículo utilizado e o motivo da viagem (trabalho, estudo, compras, turismo, etc).

O objetivo é obter detalhes diretamente com os milhares de usuários da rodovia, que viajam entre as duas cidades para trabalhar, estudar, realizar compras e também para aproveitar as atrações turísticas da região.

A Câmara de Jaú jauense pretende cobrar a Agência Reguladora de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp) para que a concessionária Via Paulista adote o sistema Ponto a Ponto no trecho.

O serviço cobra do passageiro valor referente apenas à distância percorrida. Assim, os usuários da rodovia que viajam diariamente ou com certa frequência seriam menos prejudicados com a instalação da praça de pedágio entre as duas cidades.

Fonte: Departamento de Mídia da Câmara Municipal de Jaú

Fonte: Artesp