Composição 1_1
Composição 1_1

Iniciativa de dono de padaria em Pirajuí foi compartilhada pelo padre Fábio de Melo

Pães ajudam a saciar a fome de pessoas que não têm condições de pagar pelo alimento (Reprodução/Facebook)

O dono de uma padaria no Centro de Pirajuí decidiu reservar parte de sua produção diária para doar a pessoas que não têm condições de pagar pelo alimento. Os pães franceses ficam expostos numa caixa e podem ser retirados de acordo com a necessidade de cada um. A iniciativa, registrada por uma moradora da cidade em sua página no Facebook, foi compartilhada por centenas de pessoas e ganhou repercussão após ser postada pelo padre Fábio de Melo em suas redes sociais (leia mais abaixo).

O comerciante José Carlos Quintino, de 45 anos, conhecido como “Português”, diz que sempre doou os pães que não são vendidos até o fim do expediente. Por sugestão de uma pastora da igreja evangélica que frequenta, ele conta que, no último domingo (20), colocou uma caixa com pães para que pessoas que não têm dinheiro para comprar o alimento possam buscá-lo na hora em que sentirem fome.

Na caixa, Quintino escreveu a mensagem: “Para você que hoje não tem condições de comprar o seu pão de cada dia, pode se servir a vontade. Tenha um excelente dia. Jesus te ama! Mateus 6:11”. “Eu coloquei sem querer chamar a atenção. E deu esse ibope todo. Eu não esperava esse movimento não”, revela. Nos últimos dias, segundo ele, a busca pelos pães doados aumentou.

Mas se engana quem pensa que a iniciativa tem atrapalhado o faturamento da padaria. “O movimento cresceu muito. Muitos atravessam a cidade para vir comprar pão aqui”, afirma. O comerciante faz questão de ressaltar que quem procura os pães de graça são aqueles que realmente necessitam. “A gente mora em Pirajuí há 12 anos e vê a atitude das pessoas que vão pegar”, diz.

“Passou hoje (terça-22) de manhã um homem com uma carriola, que vende recicláveis, e pediu para pegar quatro pães. Eu falei para ele pegar mais e ele disse que amanhã (hoje) voltava porque só ia comer os quatro. A gente vê que as pessoas humildes têm bom senso. Elas não pegam a mais. Eu fico admirado com essa atitude. Só passa pegar os pães quem precisa mesmo”.

De acordo com Quintino, todos os dias, são doados em média 100 pãezinhos. “E os pães que eu doo para as pessoas não são pães amanhecidos. São pães frescos. É o mesmo pão que eu vendo. O mesmo pão que o cliente compra é o pão que eu doo”, salienta. “Ontem veio um casal de São Paulo que tem parentes em Pirajuí e deu R$ 20,00 para eu fazer mais pães para doar. Com o dinheiro, dá para pagar a farinha de 200 a 250 pãezinhos”.

REPERCUSSÃO

A primeira pessoa a divulgar no Facebook a foto da ação social do comerciante foi a pirajuiense Marta Braghetto de Souza. Com mais de 1,8 mil compartilhamentos, a postagem chegou até o padre Fábio de Melo por meio do jornalista Marcelo Daniel, dono do blog “Homem Benigno”. Em sua conta no Twiter, o religioso elogiou a iniciativa. “O amor ao próximo é a semente que germina sem fazer alarde”, publicou. “A solidariedade é uma linguagem que todo mundo entende”.

O padre também compartilhou a ação social de do dono da padaria em sua conta no Instagram. “Enquanto somos diariamente envergonhados pelos que desviam recursos públicos, privando a sociedade de ser mais justa e solidária, um exemplo como esse nos recorda que o amor ainda teima em ficar entre nós. O texto simples me tocou tão profundamente que eu chorei”, postou.

O comerciante ficou emocionado com as postagens do religioso e, apesar de ser evangélico, ressaltou que o amor ao próximo independe de religião ou crença. “Eu sou evangélico, mas não importa a religião. O que importa é o amor ao próximo. E ele acha a mesma coisa”, afirma. “E espero que mais padarias de outras cidades tenham essa iniciativa. É gratificante para a gente”.

José Quintino e a filha Tatiane Quintino na padaria da família / Divulgação