Slider

Eduardo Herrera dos Santos, titular da SIG, comanda investigação do caso – (Foto: Aceituno Jr./JC Imagens)

A Polícia Civil, por meio do Setor de Investigações Gerais (SIG), identificou um morador de Bauru de 37 anos como responsável pelos ataques racistas sofridos pela prefeita eleita de Bauru Suéllen Rosim (Patriota). O nome e o perfil dele não foram divulgados pela polícia, que promoveu uma entrevista coletiva, na manhã de quinta-feira (3).

As agressões foram postadas no Facebook e também em grupos de WhatsApp, às vésperas e logo após a votação. O homem identificado foi ouvido e liberado. Disse à polícia não ter qualquer relação com a ameaça de morte que Suéllen recebeu, por e-mail.

A partir de um perfil falso, o acusado escreveu os comentários no Facebook. À polícia, o homem que também é negro informou, na tarde desta quarta-feira (2), que tomou a iniciativa para tentar fazer com que integrantes de um determinado grupo fizessem comentários com o mesmo perfil sobre a prefeita para provar que as pessoas são racistas. No entanto, seu objetivo não foi atingido e responderá pelo crime.

Segundo o delegado coordenador do SIG, Eduardo Herrera dos Santos, ele foi liberado porque não houve flagrante, nem havia elementos para o pedido de prisão. Além disso, se colocou à disposição da polícia.

 

Fonte: JCNet