Composição 1_1
Composição 1_1

Marcos Vinício Bilancieri fala de corte de gastos em entrevista ao Facebook do Candeia – Robertinho Coletta/Candeia

A prefeitura de Boraceia estima que em 2019 receberá aproximadamente R$ 1 milhão a menos de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). O principal motivo é que a AES Tietê, empresa de maior porte instalada na cidade, está produzindo energia aquém de sua capacidade por causa de problemas hídricos.
Outro corte de recursos foi com relação a R$ 700 mil para a área da saúde, montante relacionado a convênios não liberados. O bloqueio da verba foi feito pelo atual governo estadual.
Diante da queda nas receitas, o prefeito da cidade, Marcos Vinício Bilancieri (PSB), está tomando medidas de contenção de despesas a fim de terminar o ano com as contas no azul.
Em entrevista ao Facebook do Candeia ele disse que o Baile do Município, sempre realizado em maio, não irá acontecer neste ano. “Se conseguirmos recursos, comemoraremos os 60 anos do município em outra data”, relata. Esse evento representa um custo aos cofres municipais entre R$ 15 a R$ 20 mil.
O carnaval será promovido, mas terá uma estrutura mais enxuta em comparação a 2018. De acordo com Bilancieri, no ano passado o gasto chegou a R$ 22 mil. Neste ano a estimativa é de R$ 13 mil. A escola de samba foi um dos itens cortados.
Tradicional evento em Boraceia, a festa do peão também terá estrutura mais enxuta. No ano passado, a festa custou R$ 245 mil. Para este ano serão investidos menos de R$ 200 mil. Haverá economia com som, arquibancada e grade de shows. Parte do dinheiro sai do tesouro municipal. O prefeito afirma que a economia entra na planilha de custos para investimentos em outras áreas, como educação e saúde.
A administração municipal também está economizando com itens dados a alunos. A confecção de uniformes neste ano ficou a cargo de seis pessoas de Boraceia que aprenderam a costurar. A prefeitura comprou apenas o tecido.
Segundo Bilancieri, material escolar e tênis serão dados a estudantes que precisam. Diz que nem todos utilizavam os tênis dados pela prefeitura. Quanto ao material escolar, os itens ficarão na sala de aula e não poderão ser levados para casa.
O prefeito comenta que as salas de aula têm ar condicionado, mas a ordem é que os aparelhos sejam ligados a partir das 9h. “Publicamos um decreto para que haja economia de 20% de energia, telefone e água”, finaliza o gestor.