Slider

Parraguinha é crítico do modelo de intervenção feito na Santa Casa de Bariri – Robertinho Coletta/Candeia

 

Wellington Pollonio Bof (Podemos), o Parraguinha, esteve no Candeia TV na segunda-feira, dia 9, para falar sobre sua pré-candidatura a prefeito de Bariri. A entrevista completa está disponível no Facebook do Jornal Candeia.

Vereador na legislatura de 2013 a 2016 e candidato a prefeito na eleição de 2016 (tendo ficado em terceiro lugar na disputa), Parraguinha diz que a prioridade no momento é filiar pessoas para a disputa do cargo de vereador. Ele conta com dois partidos em sua base de apoio: Podemos e PSD.

Segundo ele, os vereadores Armando Perazzelli (PV), Francisco Leandro Gonzalez (Cidadania) e Vagner Mateus Ferreira (PSD) manifestaram apoio à sua pré-candidatura.

Vaguinho deve permanecer no PSD, mas Perazzelli e Gonzalez devem se filiar ao Podemos até o fim deste mês.

Segundo Parraguinha, as maiores carências em Bariri são nos setores de saúde e emprego.

É crítico do modelo de intervenção feito na Santa Casa de Bariri. O pré-candidato afirma que o déficit mensal preocupa. Em seus cálculos, desde o início da intervenção (setembro de 2018) até dezembro deste ano o hospital deve acumular déficit de R$ 5 milhões.

Para Parraguinha, a prefeitura deveria ter criado um CNPJ específico para que não fossem feitos bloqueios judiciais, retirando receitas do hospital.

De acordo com ele, a Santa Casa virou um “puxadinho” da prefeitura, com cargos comissionados exonerados sendo agregados ao hospital.