Slider

A reabertura do Estádio Municipal Farid Jorge Resegue (Faridão) aconteceu na manhã do domingo, dia 6, com jogo amistoso entre o Máster do XV de Jaú e o Máster de Bariri. Foram mais de quatro anos em que o local deixou de receber eventos esportivos por falta de condições estruturais.
Durante a cerimônia foram homenageadas as famílias de Waldemor Penachi (Cabeção) e do professor Claudinei Assad (Bolão). Também receberam homenagem José Gari Borges, Mário Moço, José Luis Floret e Jurandir Cataldo.
Antes do início da partida, familiares dos homenageados foram ao centro de campo e deram o pontapé inicial da partida, além do radialista Orlando Belluzzo Filho e Jurandir Cataldo (primeiro atleta a marcar um gol no estádio).
O amistoso terminou com vitória do Máster do XV de Jaú por 2 a 1. Os gols do visitante foram marcados por Juliano e Fabinho. Rogério Capobianco descontou para o time de Bariri.
As obras no estádio contemplaram a construção de um depósito, pinturas da fachada e arquibancadas, instalação de cobertura metálica na arquibancada coberta, reforma completa nos vestiários e dependências, nos banheiros (masculino, feminino e deficiente), no bebedouro e também na cabine de transmissão.

Novela

Em junho de 2015 a prefeitura de Bariri e a empresa MLX Ltda., de Nova Europa, assinaram contrato para obras no Faridão.
A proposta de reforma do estádio contemplava investimento de R$ 248,7 mil, sendo R$ 243,7 mil de verba federal (Ministério dos Esportes) e R$ 5 mil de contrapartida do município. O dinheiro foi obtido graças à emenda parlamentar na época do deputado federal Arnaldo Jardim (Cidadania).
No fim do mesmo ano parte do muro que fica na Rua Santa Cruz veio abaixo por causa de um forte temporal que caiu na região. Parte das placas colocadas no local foi arrancada. A partir daí o estádio virou alvo fácil para ladrões e usuários de drogas.
A MLX começou a atrasar a execução das obras e, por esse motivo, a administração municipal notificou a empresa. Diante da ausência de informações, o poder público decidiu pela rescisão do contrato, fato ocorrido em setembro de 2017. A firma executou pouco mais de 50% do serviço que constava no projeto.
O próximo passou foi o Executivo chamar a segunda colocada na licitação para a continuidade dos serviços. A Targ Construções e Serviços Ltda. aceitou a empreitada.
Outro impasse veio com a Caixa Federal, que teria demorado em dar o sinal verde para a retomada das obras, entre outros motivos, por causa de greve que atingiu o setor bancário. A Caixa é o agente financeiro que libera os recursos federais para a obra no Faridão.
A Targ deveria ter iniciado os serviços em novembro de 2017, no entanto, ladrões haviam furtado todos os fios elétricos existentes na praça esportiva, além de outros objetos.
Por isso, não havia como a empresa ligar betoneira ou equipamento elétrico para cortar concreto, por exemplo. Mais tarde, a firma desistiu de realizar o serviço.
Em março de 2018 a prefeitura iniciou a obra de reconstrução do muro do Faridão. O trabalho foi feito com recursos próprios do município e com mão de obra dos servidores da Diretoria Municipal de Obras. Foram construídos cerca de 50 metros de muro.
O município aguardava os trâmites internos para retomada dos trabalhos no local, incluindo medições do que havia sido feito e o que restava ser realizado. Em julho de 2018 a administração municipal abriu licitação, na modalidade tomada de preços, para reforma do estádio.
O edital compreendia, entre outros serviços, reforma dos banheiros masculino, feminino e de deficientes, cabine de rádio e vestiário, além de construção do muro de divisa e do campo de futebol.
A vencedora da disputa foi a empresa Novaven Construções Ltda., com o valor de R$ 133,3 mil. O contrato entre as partes foi assinado em agosto do ano passado. A empresa concluiu o serviço no mês passado.

Foto: Caio Glauco