Slider

Indicador de qualidade de vida dos municípios paulistas é divulgado na Alesp – Alesp/Divulgação

A Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp) e a Fundação Seade disponibilizam os resultados do Índice Paulista de Responsabilidade Social (IPRS) com os dados definitivos para 2014 e 2016 e os resultados estimados para 2018.
O IPRS é baseado nos mesmos critérios de desenvolvimento considerados pelo Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) e reflete a situação dos municípios nas dimensões riqueza, escolaridade e longevidade.
Cada uma das dimensões contém indicadores com valores expressos em uma escala de 0 a 100 – quanto mais perto de 100, melhor.
Bariri apresentou melhora no índice de escolaridade, entre 2014 e 2018, a exemplo de Boraceia e Itaju (veja no quadro). As três cidades superam a média do Estado de São Paulo.
Já a escala de longevidade de Bariri caiu em relação a 2016. O índice riqueza se manteve estável entre os três anos do IPRS.
O índice de escolaridade leva em consideração a taxa de atendimento de crianças de 0 a 3 anos, média da proporção de alunos da rede pública que atingiu pelo menos nível adequado nas provas de Língua Portuguesa e Matemática nos 5º e 9º anos e taxa de distorção idade-série do Ensino Médio.
A dimensão riqueza contempla o consumo de energia elétrica, a soma do rendimento do trabalho formal e aposentadorias dividido pela população acima de 15 anos e a estimativa do Produto Interno Bruto Municipal (PIB per capita).
O índice de longevidade verifica as taxas de mortalidade infantil, mortalidade perinatal, mortalidade entre 15 e 39 anos e mortalidade entre 60 a 69 anos.

São Paulo

Na comparação do período 2016-2018, o Estado de São Paulo manteve estabilidade em 44 pontos no indicador de riqueza. Entre os municípios 39,5% não sofreram variação, 3,9% registraram redução e cerca de 45% tiveram aumento.
Destaque para o crescimento acima de 10% desse indicador nos municípios de Planalto (16,7%), Arealva (13,3%), São Luís do Paraitinga (12,5), Alto Alegre (12,5%) e Indiaporã (11,5%).
Na dimensão longevidade, o Estado mostra tendência idêntica e marca de 72 pontos. Pouco mais de um terço (38%) dos municípios apresentaram declínio desse indicador, aproximadamente 12% registraram estabilidade e 50% ampliaram seu valor, é o caso dos municípios de Balbinos, Guzolândia, Mirante do Paranapanema, Pariquera-Açu, Itaporã e Mesópolis.
Já no indicador de escolaridade houve aumento de 2 pontos, elevando-se para 53. Cerca de 80% dos municípios alcançaram variações positivas, 5% apresentaram estabilidade e 15,3% reduziram este valor.

Desempenho da região e do Estado no IPRS

Bariri

Ano       Riqueza          Longevidade           Escolaridade

2014      40                    69                             53

2016      39                    77                             60

2018      40                    74                             65

Boraceia

Ano       Riqueza          Longevidade           Escolaridade

2014      41                    56                             51

2016      40                    69                             56

2018      41                    63                             69

Itaju

Ano       Riqueza          Longevidade           Escolaridade

2014      30                    56                             55

2016      29                    69                             62

2018      30                    56                             62

Média do Estado de São Paulo

Ano       Riqueza          Longevidade           Escolaridade

2014      46                    70                             45

2016      44                    72                             51

2018      44                    72                             53

Fonte: Fundação Seade