Slider

Desde junho do ano passado companheira era vítima de agressões – Divulgação

 

A Polícia Civil de Bariri prendeu na manhã de quarta-feira (17) homem de 33 anos, acusado de cárcere privado, entre outros crimes.

Segundo o delegado titular de Bariri, Marcílio César Frederici de Mello, ele e mulher de 37 anos mantinham união estável.

Conheceram-se em março do ano passado e desde junho de 2020 passaram a morar juntos em imóvel situado na Avenida Bahia, em Bariri.

A partir daí o homem passou a xingar e a agredir a mulher. Também a proibia de sair de casa sozinha e nem mesmo ir ao portão. Há pelo menos um mês ela não pôde deixar o lar.

Assim que tomou conhecimento do caso, por meio de um telefonema, a Polícia Civil foi ao endereço.

Os policiais foram atendidos pelo morador. Ele chamou a mulher, que estava trêmula e chorando. Ela confirmou a situação de cárcere e as agressões, humilhações e ofensas constantes provocadas pelo autor.

A vítima mostrou-se preocupada com cenas de sexo do casal armazenadas no telefone celular do homem. Constantemente ele ameaçava divulgar o conteúdo, com investidas violentas contra ela.

A mulher declarou aos policiais que muitas vezes foi agredida com tapas no rosto, socos na cabeça e em outras partes do corpo.

Exibiu lesões diversas nos braços e informou que foram resultantes das agressões recentes do autor.

A Polícia verificou que quando o homem saía para trabalhar, deixava a casa fechada, inclusive as janelas, impedindo a mulher de sair do imóvel.

Diante da flagrante situação de violência doméstica e constrangimento imposto à vítima, os policiais deram voz de prisão ao suspeito e o conduziram à Delegacia de Polícia, onde foi autuado em flagrante, ficando à disposição da Justiça.

Foi indiciado por sequestro e cárcere privado, violência doméstica, ameaça, crime contra a dignidade sexual, lesão corporal e injúria.

A mulher, que residia em Marília, pretende retornar à cidade, onde possui familiares. Os nomes do acusado e da vítima não foram divulgados.