Slider

Local onde ocorreu o crime no domingo, dia 29, e a vítima, Everton Willian Cristianini – Diego Santos

Reprodução/Facebook

Bariri registrou na noite de domingo (29) mais uma morte em decorrência de violência em 2020. Ao todo, são cinco crimes violentos no ano, entre homicídio, tentativa de homicídio e latrocínio (roubo seguido de morte).

Everton Willian Cristianini, 26 anos, estaria agredindo os pais em residência situada no Jardim São Marcos, em Bariri. Na ocasião, um conhecido da família defendeu o casal e acabou entrando em luta corporal com Everton.

Em seguida, tomou uma faca e acabou acertando o homem no abdômen, causando a morte dele.

O delegado titular da Polícia Civil de Bariri, Marcílio César Frederici de Mello, diz que aguarda o laudo pericial para andamento do inquérito policial. Uma das informações é se Everton morreu em decorrência e um ou mais golpes de faca.

Mello diz que o agressor compareceu espontaneamente à Central de Polícia Judiciária (CPJ) de Jaú, onde foi ouvido e liberado. No momento, ele irá responder ao crime de homicídio em liberdade. Além de ter ido à CPJ por livre vontade, o homem teria agido em legítima defesa. Os pais da vítima são as únicas testemunhas oculares do fato.

 

Carnaval e agressões

 

No domingo de carnaval, em fevereiro, o advogado Luís Henrique Marques, 51 anos, foi morto após agressões sofridas por três seguranças que trabalhavam no Umuarama Clube de Bariri.

Conforme o Ministério Público (MP), a vítima se desentendeu com a ex-companheira durante o evento e acabou sendo imobilizado pelos denunciados.

Em seguida, Marques foi levado para fora do clube, onde teria sido agredido com dezenas de socos e chutes, apesar de não conseguir reagir em virtude de seu estado de embriaguez.

O advogado foi atingido inclusive na região da cabeça, o que causou traumatismo cranioencefálico. No momento, a Justiça decide se o trio irá ou não a júri popular.

No mês seguinte a Polícia Militar (PM) deteve R. R. B., 42 anos, por tentativa de homicídio, violência doméstica, extorsão e dano material na madrugada. O crime ocorreu no Jardim São Marcos, em Bariri.

Após solicitação para atendimento de desinteligência na Rua Ceará, os policiais compareceram ao local, onde foi constatado que uma idosa de 68 anos estava sofrendo maus-tratos tratos por parte de seu filho.

Com a chegada das equipes policiais, o homem fugiu. Durante o patrulhamento na tentativa de localizá-lo, a PM foi novamente acionada devido ao acusado ter retornado ao local em posse de uma faca e um pedaço de madeira, e tentado desferir uma facada em sua cunhada, B. A. M., 25 anos.

Ele também danificou um veículo de propriedade de seu irmão. Foi realizada nova busca no bairro, onde R. foi abordado na Rua Marcos Beluzzo. Na busca pessoal foi encontrado um bastão de madeira com o homem. Ele foi detido e conduzido à Central de Polícia Judiciária (CPJ) em Jaú.

 

Pipa e latrocínio

 

Em maio, Patrick Adilson Rodrigues, 21 anos, foi morto por golpes de faca na Rua Luis Furlaneto, no Conjunto Habitacional Osório Oréfice, em Bariri. As facadas foram desferidas por adolescente de 15 anos após discussão envolvendo pipa.

O autor das facadas e outro adolescente da mesma idade que teria ajudado a segurar a vítima foram levados pela Polícia Militar (MP) à Delegacia de Bariri. Na época, eles ficaram apreendidos e durante a semana foram transferidos para a Fundação Casa, em Bauru.

A PM recebeu chamado de que havia ocorrido agressão em via pública. Chegando ao local, os policiais tomaram conhecimento de que a vítima havia sido socorrida. No pronto-socorro o médico de plantão informou que o jovem chegou morto ao hospital. Havia diversos ferimentos provocados por faca no corpo dele.

Na discussão entre as partes, um irmão da vítima também foi ferido com golpes de faca. Havia um grupo de pessoas soltando pipa, quando Patrick e o autor das facadas brigaram.

Depois, o adolescente foi para sua residência e retornou com uma faca. Os dois voltaram a brigar, quando o jovem desferiu os golpes contra Patrick. Um primo do autor teria segurado a vítima enquanto era golpeada. A faca foi encontrada mais tarde pela PM na casa do primo e ainda estava suja de sangue.

De acordo com a polícia, antes de localizarem o possível comparsa, o autor das facadas foi localizado no PS. Ele foi levado pelo pai ao hospital porque apresentava ferimentos na cabeça. No local dos fatos, os PMs encontraram telhas de alvenaria quebradas, possivelmente utilizadas na briga entre as partes.

No dia 24 de novembro o caseiro José Luiz Rodrigues, 54 anos, foi encontrado morto na chácara onde trabalha, situada na Rua Florêncio Froes de Moraes. Ele sofreu golpes de faca, e a prótese que usava na perna direita foi retirada e deixada sobre o corpo.

O delegado Marcílio Mello disse ao Candeia nesta semana que a principal linha de investigação continua sendo latrocínio (roubo seguido de morte). De acordo com ele, a apuração segue para verificar a rotina de Rodrigues e seus contatos a fim de localizar o autor do delito.