Composição 1_1
Composição 1_1

 

“A decisão de apoiar um ou outro candidato nas eleições majoritárias será tomada pela maioria nas convenções partidárias” – Ricardo Prearo

 

O presidente da Câmara de Bariri, Ricardo Prearo (PDT), passou a conviver com situações novas em 2020. No âmbito legislativo, deixou de desempatar votações de projetos com a ida de Evandro Folieni (PP) para o grupo da oposição, hoje com maioria na Câmara. Na esfera política, Prearo deixou o DEM e filiou-se ao PDT, partido presidido por Gilson de Souza Carvalho, presidente do Sindicato dos Servidores Públicos de Bariri. Em relação a eventual apoio a Maria Pia Betti Pio da Silva Nary, hoje no DEM, seu antigo partido, Prearo não descarta essa possibilidade, mas aponta que a maioria dos filiados irá decidir a questão nas convenções. Sobre a divergência de atuação com Carvalho em relação ao atual governo municipal, o presidente da Câmara elogia a pauta de reivindicações da entidade sindical e diz que sempre busca a conciliação. Na entrevista ao Candeia, ele comenta também como analisa o trabalho da oposição quanto aos poderes Executivo e Legislativo. Prearo preside a Casa de leis desde janeiro de 2019, cargo que irá exercer até o fim deste ano. Iniciou sua carreira política em 2009 como vereador. Foi reeleito nas eleições de 2012 e de 2016. Exerceu a função de presidente da Câmara Municipal para os biênios 2011-2012 e agora para 2019-2020.

 

Candeia – Quando a Câmara de Bariri deverá retomar as sessões presenciais?

Prearo – As recomendações dos órgãos ligados à pandemia da Covid-19 é que motivaram a Mesa Diretora da Câmara de Bariri a tomar a decisão de suspender as sessões até o dia 10 de maio, com o intuito de seguir as determinações legais e de proteger e prevenir a disseminação do coronavírus. A maior parte dos vereadores e dois, dos cinco servidores da Câmara Municipal, compõem o chamado “grupo de risco”. O respaldo legal está no Decreto Estadual 64.946/20, que estendeu o período de quarentena como medida de enfrentamento à pandemia de Covid-19. Quanto à retomada das sessões, ainda aguardamos recomendações.

 

Candeia – Como analisa a rejeição de projeto que permitiria a realização de sessões à distância? Acredita que faltou discutir o assunto com todos os vereadores?

Prearo – Um retrocesso. As sessões virtuais seriam uma alternativa para viabilizar os trabalhos legislativos, em caráter excepcional em tempos de pandemia. Infelizmente os vereadores da oposição inviabilizaram uma proposta que está sendo a tônica em todas as Câmaras Municipais, Assembleias Legislativas, Câmara dos Deputados, Senado Federal, e até mesmo no Poder Judiciário, que adotaram essa ferramenta importante e disponível no atual mundo digital. Estão na contramão dos tempos modernos. Não faltou diálogo, muito pelo contrário, foi até cogitada, por parte dos vereadores de oposição, em sessões anteriores. Lamentavelmente, os mesmos vieram a mudar de posição, votando contra a proposta de autoria da Mesa Diretora, sem qualquer fundamento plausível.

 

Candeia – Até a mudança de posição do vereador Evandro Folieni, o senhor costumava desempatar várias votações, com o Voto de Minerva. Agora, a oposição tem maioria. Como o senhor está lidando com essa questão?

Prearo – Temos que encarar com naturalidade, faz parte da democracia. Agora, o que não podemos aceitar são decisões (votações) contrárias aos anseios da população e aos interesses da cidade.

 

Candeia – Há alguma preocupação sua com a rejeição de projetos do Executivo e do Legislativo por causa da maioria entre os oposicionistas?

Prearo – Sim. É preocupante ver os interesses político-partidários sendo colocados à frente dos interesses da cidade. Vimos recentemente um projeto (asfalto), ser alterado pela maioria oposicionista sem qualquer fundamentação. Essa postura da oposição vem acarretando sérios problemas para a atual administração.

 

Candeia – Recentemente, o senhor migrou para o PDT. Por que escolheu esse partido?

Prearo – É um partido com boa representatividade tanto no cenário federal como estadual, um partido de fácil acesso, e com bom trânsito e diálogo com os demais partidos.

 

Candeia – Pelo fato de o senhor presidir o DEM até recentemente, há ainda a possibilidade de união com esse partido, agora com Maria Pia?

Prearo – Há possibilidade, entretanto, a decisão de apoiar um ou outro candidato nas eleições majoritárias será tomada pela maioria nas convenções partidárias.

 

Candeia – O presidente do PDT, Gilson de Carvalho, tem adotado postura de certo enfrentamento com o governo municipal por causa de questões do funcionalismo. Já o senhor tem maior alinhamento com o prefeito. Como conciliar essa situação diante de uma disputa política que será colocada em breve?

Prearo – Acredito que as reivindicações feitas pelo presidente do Sindicato dos Servidores Municipais são justas. Sempre que eu puder conciliar e ajudar na tomada de decisões, por parte do Executivo, farei como sempre fiz ao longo do meu trabalho enquanto vereador.

 

Candeia – Acredita que haverá alguma alteração no calendário eleitoral deste ano por causa da pandemia da Covid-19?

Prearo – Acredito que sim. Mas alterações não muito significativas ou impactantes. Talvez o adiamento ou alteração no calendário das eleições por um ou dois meses.