Slider

Ledinél Lairton Videira – “Um dos meus principais objetivos estando à frente da administração é continuar fazendo a arrecadação de Itaju crescer, chegando a valores ainda maiores principalmente com a abertura do novo Polo Industrial”

 

O candidato a prefeito de Itaju Ledinél Lairton Videira (MDB) tem como prioridade focar nas áreas de saúde, geração de emprego e renda e educação. Na entrevista a seguir, ele detalha ações nos setores, conforme consta em seu plano de governo. Para fazer frente aos investimentos, Ledinél pretende aumentar a arrecadação de Itaju, incluindo a abertura de novo Polo Industrial no município. Ele estima que até o fim de 2022 a arrecadação da prefeitura chegue a R$ 26 milhões, aumento de 38%. Ledinél é o primeiro entrevistado entre os candidatos a prefeito de Itaju, conforme sorteio realizado no Jornal Candeia com representantes das coligações.

 

Candeia – Qual a prioridade de seu governo a partir de janeiro de 2021, caso seja eleito?

Ledinél – A principal bandeira durante nosso governo será voltada a saúde, geração de emprego e renda e educação. Como as perguntas propostas pelo Jornal Candeia me permitirão adiante falar sobre educação e geração de emprego e renda, me permitirei nesta primeira pergunta transcorrer sobre nossas prioridades na área da saúde. Possuímos atualmente as especialidades em pediatria, ortopedia, cardiologia, psiquiatria e ginecologia. Pretendemos ampliar essas especialidades clínicas com a vinda de oftalmologia, neurologia, gastroenterologia e geriatria, pois acreditamos que atualmente existem demandas de pacientes em nosso município para tais. Algumas mudanças na administração da Unidade Básica de Saúde foram realizadas nesses últimos anos, com o objetivo de facilitar a vida do usuário, contudo, entendemos que há a necessidade de revisão de algumas condutas que no meu ponto de vista não deram certo e para isso, pretendemos modernizar o sistema de cadastro para consultas médicas, bem como modernizar e investir ainda mais em equipamentos principalmente para atender a demanda das especialidades citadas anteriormente que traremos para o município. Itaju possui hoje um programa para o atendimento das demandas de exames laboratoriais e de imagem, além de cirurgias de baixa e média complexidade, onde acredito que caiba uma ampliação daquilo que já é oferecido com novos outros tipos e é o que farei. Além de buscar recursos junto ao Governo Estadual e Federal para a ampliação e modernização da frota da saúde, como ambulâncias para remoção e atendimento de urgências e emergências, aquisição de novos veículos para a locomoção de pacientes até os hospitais de referência como Amaral Carvalho em Jaú, Hospital Estadual em Bauru, AME em Botucatu, dentre outros e ainda continuar com a parceria junto ao Governo do Estado para regularizar e garantir o fornecimento de medicamentos de alto custo para a população, bem como o controle através do atendimento e fornecimento de medicamentos e equipamentos para pacientes diabéticos e outras doenças crônicas. Vamos oferecer também ainda mais condições para que o PSF – Programa Saúde da Família continue o seu excelente trabalho de prevenção de doenças junto à população de Itaju, seguindo os parâmetros de atendimento atuais, os quais são definidos através de resoluções e portarias do Ministério da Saúde. Por fim, para que possamos dar respaldo no atendimento humanizado realizado pelo PSF, implantaremos também no Município de Itaju o programa do Governo Federal “Saúde na Hora”, promovendo a contratação de mais médicos (clínico geral) para o pronto atendimento da população no decorrer dos dias da semana, estendendo inclusive o horário de atendimento para após as 18h, possivelmente até as 22hs para que atenda as demandas hoje existentes principalmente após o horário comercial. O Programa Saúde na Hora foi lançado pelo Governo Federal no ano passado e regulamentado em março deste ano de 2020. Ele viabiliza o custeio aos municípios para a implantação do horário estendido de funcionamento das Unidades Básicas de Saúde – UBS como é o caso do Município de Itaju, com possibilidade de adesão em quatro tipos de formato de funcionamento em horário estendido, sendo USF com 60 horas semanais, USF com 60 semanais horas com Saúde Bucal, USF com 75 horas semanais com Saúde Bucal e USF ou UBS com 60 horas semanais simplificados.

 

Candeia – Que projetos e programas do atual governo pretendem manter e os que pretendem mudar?

Ledinél – A nossa Coligação tem como nome “Novas ideias para uma nova Itaju”. Logo, nossa proposta de governo não está pautada nessa ou aquela mudança bem como manutenção, seja nas maneiras ou meios de a atual administração lidar com seus projetos e programas de governo. Nesses últimos anos, como o leitor poderá observar no decorrer dessa entrevista, mesmo diante de momentos difíceis foram realizados diversos projetos que contribuíram inegavelmente para com o desenvolvimento do Município de Itaju. Não podemos aqui ser irresponsáveis e propor mudanças para a população as quais jamais serão possíveis. É muito comum nos dias de hoje, candidatos proporem ideias sem possuir os planos ou estratégias para alcançar os objetivos traçados. Não podemos aqui dizer que acabaremos com os problemas da falta de emprego ou a ausência de médicos para o pronto atendimento, se não conseguirmos explicar para a população como isso será possível e quais os caminhos traçar para este propósito. Nossa campanha é pautada primeiramente na responsabilidade e no comprometimento para com cada uma das pessoas da nossa cidade. Dito isto, colocamos a disposição da população de Itaju nossa experiência como servidores públicos, no meu caso, há mais de 20 anos, podendo observar como funcionário, aquilo que deu certo ou errado e estando do outro lado, saber como melhor lidar com todas essas situações. Assim, procuraremos através de novas ideias e outros métodos de política pública, fazer de Itaju uma nova cidade, aproveitando e aperfeiçoando tudo o que deu certo e sabendo realizar uma autocrítica do que não deu certo não só nesta como nas administrações passadas, contudo, volto a repetir, sempre pautado em muita responsabilidade, afinal, o que jamais poderemos deixar se perder é a qualidade de vida de nossa população. No entanto, dentre os diversos programas da atual administração existe um que me chama muito a atenção e ele merece sem sombra de dúvidas não só uma continuidade, como também aperfeiçoamentos e vejo espaço para isso, ou seja, as atividades desenvolvidas com a melhor idade. Quando assumimos a administração, o Centro de Convivência do Idoso era um espaço sem uso, sem atividades, totalmente parado. Nesses últimos anos se tornou referência para a melhor idade do município de Itaju, pois lá encontram a alegria e a disposição para uma melhor qualidade de vida, sendo recebidos todos os dias com um farto café da manhã e posteriormente atividades físicas, terapias em grupo, oficinas que trabalham atividades psicomotoras, aulas de dança, zumba gold, canto coral, artesanato, oficina de tecnologia (onde aprendem a usar o computador/smartphone), sessão cinema, além de festas em datas comemorativas (carnaval, festa junina, semana do idoso e festas de fim de ano), é um grande legado que será deixado para a melhor idade e que merecerá uma atenção especial da próxima administração para que tudo isso não seja perdido.

 

Candeia – Como o senhor analisa a arrecadação do município hoje? É possível fazer frente aos anseios da população?

Ledinél – Bom, para se analisar a arrecadação do município hoje, é preciso fazer um estudo sobre as arrecadações passadas. Segundo dados oficiais da Prefeitura, o município de Itaju tinha há oito anos atrás (2012), uma arrecadação de R$ 12 milhões. Atualmente, mesmo o país tendo enfrentado principalmente problemas econômicos, a arrecadação do município cresceu 58%, chegando ao valor de R$ 19 milhões. Dessa forma, analiso a arrecadação atual do município de maneira muito positiva, pois houve uma arrecadação jamais antes esperada. Como um bom e assíduo leitor do Jornal Candeia, pude acompanhar a divulgação de informações que mostraram que o município de Itaju foi o que mais cresceu, quando comparado aos municípios de Boraceia e Bariri, em termos de arrecadação de ICMS e valor adicionado. Com esse histórico de crescimento, um dos meus principais objetivos estando à frente da administração é continuar fazendo a arrecadação de Itaju crescer, chegando a valores ainda maiores principalmente com a abertura do novo Polo Industrial que já conta com duas novas empresas chegando em nossa cidade. A partir disso, a arrecadação do município terá, nos próximos dois anos (2021/2022), um aumento de 38%, chegando a pouco mais de R$ 26 milhões. E isso com certeza fará frente aos anseios da população, tendo em vista principalmente, que com a vinda dessas novas empresas, toda a estrutura econômica do município se organizará para que haja a geração de novos empregos, diretos e indiretos, além é claro, de se poder realizar novos investimentos que promovam reflexos diretos a população.

 

Candeia – A geração de emprego é um pleito comum em praticamente todas as cidades. Como o senhor pretende atuar nessa área?

Ledinél – Infelizmente a situação política e econômica do Brasil nesses últimos anos, atrapalhou muito a situação dos pequenos e médios municípios. Aproximadamente do ano de 2015 pra cá, viemos de um período de queda na economia, acompanhada de uma forte recessão econômica, seguida de um impeachment de uma presidente da República e agora uma pandemia. São situações que para o pequeno e médio empresário causam um grande impacto. No entanto, mesmo diante dessas dificuldades, nesses últimos oito anos a atual administração conseguiu grandes feitos na área. Assumimos a prefeitura em 2013 com as mesmas empresas deixadas pelo atual prefeito em seu último ano de administração em 2004. Foram oito anos sem a vinda de uma empresa estável, e que gerasse os empregos que a cidade precisava naquele período. De 2013 pra cá, reformulamos a legislação até então vigente, desocupamos barracões públicos que estavam fechados com massa falida de empresas que decretaram falência e possibilitamos a vinda de diversos empreendedores para Itaju. Fábricas de costura, bordado, produção de langeries, no ramo de alimentos (temperos), estrutura e estofados (cadeiras), madeireira e enxovais de bebê. É evidente que mesmo diante de todas essas conquistas durante este período, ainda temos muitas pessoas que buscam por emprego ou até mesmo trabalham atualmente fora (conseguimos vagas em empresas nas cidades de Itapuí e Arealva para atender uma demanda de pessoas desempregadas) e que gostariam de estar mais próximas de suas casas e foi justamente pensando nessa parcela da população, que elaboramos nosso plano de governo para emprego e renda. Sabemos diante da nossa experiência, que o Município precisa estar preparado no que diz respeito a sua infraestrutura para receber novas empresas, assim, corrigimos o que precisava para que conseguíssemos atrair todas essas empresas citadas acima e continuamos preparando nossa cidade para receber ainda mais. Logo, ampliaremos o Polo Industrial, para possibilitar a instalação de novos empreendimentos que somados as empresas Açúcar N.º 1 S/A (do grupo empresarial Moinhos Globo) e Graneles Brasil Comercial Importadora e Exportadora Agrícola S/A (esmagadora de amendoim) que estão chegando, poderão absolver juntas essas demandas da nossa população. Mesmo com a reformulação da nossa legislação e os bons êxitos obtidos, afinal, o próprio Jornal Candeia veiculou na edição de 31 de julho de 2020 os bons índices alcançados pelo Município de Itaju quando comparado a Bariri e Boraceia, no que diz respeito aos saldos de empregos no primeiro semestre, acreditamos que podemos melhorá-las ainda mais, para que possamos ampliar as políticas públicas de incentivos aos empresários e a oferta de trabalho para os jovens sem experiência prévia, exigindo como uma das contrapartidas pelos incentivos, por exemplo, a contratação desses jovens. Além de criar o Polo da Indústria Recicladora e o Polo Agroindustrial, ambas atividades que podem ser muito exploradas no município de Itaju, bem como instituir o Banco do Povo Paulista para auxiliar o pequeno e médio empreendedor com incentivos econômicos e muitos outros projetos que podem ser conferidas na íntegra no nosso plano de governo.

 

Candeia – Seu plano de governo cita a construção de nova escola e de nova creche. No primeiro caso, quais anos do ensino seriam atendidos? O município dispõe de terreno para as duas obras, caso a prefeitura obtenha os recursos necessários?

Ledinél – As instalações do prédio da EE Prof. Erasto Castanho de Andrade, vem de muitos anos buscando acolher tanto as demandas da educação executadas pelo Estado, como as do Município. No entanto, fomos percebendo durante este período que com a municipalização do ensino fundamental (até o 5º ano), o que cabe aqui lembrar e exaltar que a mesma ocorreu sob a gestão da minha candidata a vice-prefeita e professora Rosângela Gomes, enquanto a frente da pasta da Diretoria Municipal de Educação, vários foram os ganhos para a nossa população, principalmente no que diz respeito a qualidade no ensino (o próprio jornal Candeia veiculou no mês de setembro o resultado do IDEB cuja nota foi de 7,2, resultado este que alcançou a meta prevista para o ano de 2021). Contudo, junto dos ganhos identificamos também alguns problemas, dentre eles, a falta de espaço para um melhor desenvolvimento das atividades e interação entre nossas crianças. Assim, após diversas reuniões junto aos órgãos da educação do Governo do Estado de São Paulo, dentre eles o FDE (Fundação para o Desenvolvimento da Educação), ainda enquanto vice-prefeito na época, conseguimos um novo prédio para a escola estadual, cuja contratação da empresa e responsabilidade pela construção que inclusive já realizou as sondagens do terreno, ficou a cargo do Governo do Estado e à Prefeitura Municipal de Itaju, coube a aquisição e doação do terreno, o qual já foi adquirida uma área de 6.000m² que se encontra localizado no Jardim Araucária, próximo inclusive do atual prédio da escola Erasto. O objetivo é levar o ensino médio para o novo prédio e transformar a atual instalação da escola Erasto em ensino infantil e fundamental, o que abriria espaço para fazer do atual prédio da EMEI Nelsina de Carvalho, uma extensão da CEMEI Sebastiana Ferreira Pereira. No que diz respeito a construção de uma nova creche, dispomos tanto de um espaço que já pertence ao município ao lado da atual, como poderíamos estar utilizando de outras áreas também pertencentes ao Município em outras localidades, o que demandaria neste caso, um estudo para verificar a melhor alternativa. Até porque,quando assumimos a administração em 2013, a creche municipal atendia 46 famílias. Buscamos recursos, construímos uma nova e em 2015 entregamos o prédio para a população, atendendo atualmente mais de 200 famílias. Contudo, temos consciência de que ainda precisamos de mais vagas, principalmente no berçário, por isso trouxemos esse compromisso com a população de Itaju no nosso plano de governo.

 

Candeia – A pandemia do novo coronavírus afastou os alunos da sala de aula. Caso seja eleito, que medidas o senhor pretende tomar para “recuperar” o ano de 2020 na área de Educação?

Ledinél – Essa é uma pergunta muito pertinente e de grande importância, tendo em vista que durante nossas visitas pelas residências do município e, considerando ainda a formação da minha candidata a vice-prefeita Rosângela Gomes como professora, tratar-se de uma questão muito abordada principalmente pelos pais cujas crianças se encontram em idade escolar. No entanto, para se tirar uma conclusão mais específica sobre tais medidas, seria necessário fazermos uma auto avaliação para concluir se o ano letivo de 2020 realmente foi perdido, se o ensino online oferecido foi eficiente ou não para a aprendizagem e se os alunos foram prejudicados, para então traçarmos as estratégias de como recuperar esse conteúdo. É evidente que todo trabalho desenvolvido durante estes últimos meses, principalmente nos ensinos infantil e fundamental (até o 5º ano), cuja responsabilidade é da Prefeitura Municipal, foi sempre buscando pela redução dos impactos causados pelo Coronavírus. Aos alunos foram disponibilizados todo o material para que as atividades pudessem ser realizadas de dentro de casa. Os que residem na zona rural receberam o material em suas residências, os que não possuíam acesso a um computador ou internet, também receberam o material impresso juntamente com todo o roteiro, possuindo acesso direto com o professor através de telefone ou então dois dias da semana com plantão de dúvidas presencial, obedecidos todos os critérios de segurança exigidos pelo Ministério da Saúde. No caso das avaliações bimestrais, caso não entregues no período determinado, a equipe da educação ia até a residência do aluno para buscá-las, além de capacitar os professores através das jornadas pedagógicas, com o objetivo de prepará-los para enfrentar os desafios com os novos métodos de ensino (estudo híbrido). Ou seja, todos os cuidados para tentar amenizar ao máximo os impactos da pandemia foram tomados, contudo, se ao concluir o ano letivo de 2020 ou ao iniciar o de 2021 a equipe de educação, caso seja eleito, sentir a necessidade de mais medidas tendo em vista a identificação de problemas em decorrência da pandemia, não mediremos esforços para que o aluno que se sinta prejudicado, tenha um acompanhamento diferenciado, onde, após uma avaliação do professor, se o mesmo achar necessário, o aluno passe a frequentar uma sala de reforço paralela ao conteúdo atual para que assim possa resolver o problema e possibilitar que o mesmo continue acompanhando os colegas com o conteúdo aplicado em sala de aula. Aproveitaremos essa oportunidade, inclusive, para realizar uma revisão coletiva do Plano de Carreira dos Professores, afinal, a pandemia trouxe situações inovadoras e que merecerão uma atenção especial principalmente para o futuro da nossa educação.

 

Candeia – O plano de governo menciona a criação de Setor de Água e Esgoto. Como funcionaria na prática essa unidade?

Ledinél – No que diz respeito a infraestrutura, acredito que o acúmulo de responsabilidades da forma como sempre existiu na história do Município, sempre atrapalhou as administrações a resolverem de forma mais efetiva os problemas enfrentados. O conhecido “barracão municipal” é o local que sempre concentrou todas as demandas da área, ou seja, zeladoria, obras, água e esgoto, trânsito e manutenções gerais urbanas ou rurais. Penso que para o serviço se tornar mais eficiente, ele deva ser descentralizado, organizando equipes em departamentos específicos, onde você consiga identificar e cobrar o responsável pelas demandas da população e consequentemente ter uma melhor fiscalização daquilo que é oferecido ao munícipe, além, é claro, de facilitar o acionamento pelo cidadão, daquela prestação de serviço quando preciso. Logo, considerando todas as áreas citadas acima, a criação do setor de água e esgoto se tornou uma de nossas prioridades. Precisamos melhorar os mecanismos hoje existentes, para que diversos dos problemas enfrentados, como por exemplo a localização e correção imediata de um ponto de vazamento e principalmente no que diz respeito aos registros dos consumos e a posterior emissão das cobranças, sejam realizadas de maneira mais eficiente, oferecendo ainda capacitação aos servidores envolvidos, bem como adquirindo máquinas e equipamentos modernos para auxiliá-los no trabalho do dia a dia. Assim, com a experiência que temos sob a ótica de ter acompanhado as administrações até aqui, levando em consideração os 20 anos como servidor público municipal, acredito que este seja o caminho para resolvermos um dos problemas que a população mais pleiteia.