posto-santa-lucia-novo-2017
pró_sp3-01

Marina Prearo – “As doses que nosso município aplica são retiradas no GVE de Bauru e em geral, pela experiência nas demais faixas etárias, a partir do momento que ocorre a liberação oficial já ficam disponíveis as doses”

 

A diretora municipal de Saúde, Marina Prearo, está no aguardo da autorização dos órgãos superiores para o início da vacinação de crianças de 5 a 11 anos em Bariri. Segundo ela, pela experiência na imunização com pessoas de outras faixas etárias, o início da vacinação não irá tardar no município. Nessa semana o Ministério da Saúde anunciou que a aplicação das doses em crianças deve começar ainda em janeiro. Na entrevista, Marina faz um balanço de 2021, destacando a atuação das equipes frente à pandemia do novo coronavírus, e as ações previstas para 2022. Diz também que a informatização da Saúde é uma necessidade e será priorizada.

 

Candeia – Que avaliação faz de 2021 em relação ao setor de Saúde em Bariri? Quais os principais desafios?

Marina – A avaliação que faço do ano de 2021 para o setor de Saúde, não só para Bariri, mas acredito que em todas as cidades, foi um ano que se iniciou muito complicado, com uma sobrecarga no sistema, os profissionais cansados e exaustos, pois já estávamos enfrentando a pandemia há quase um ano e incertezas em relação à vacina no início do ano. No final de janeiro veio a primeira notícia e que proporcionou enxergarmos uma “luz no fim do túnel”, o início da vacinação! É nítido que o ano não foi fácil para nenhum setor da sociedade, mas a saúde nesses últimos tempos é quem vendo sofrendo mais devido à pandemia. Quanto aos desafios, os maiores foram conseguir vacinar o maior número possível de pessoa, conforme as doses foram sendo disponibilizadas ao município e, ao mesmo tempo, conseguir lidar com a falta de profissionais de saúde. Pontuo também como um desafio enfrentado no ano de 2021 a retomada programada dos demais serviços de saúde na atenção básica, que estavam muito reduzidos ou até mesmo paralisados devido à situação do País.

 

Candeia – O que destacaria de conquistas?

Marina – Quanto às conquistas, é notório que a vacinação foi e está sendo nossa maior conquista, conseguimos organizar em tempo o local, a equipe, a forma como seria realizada. Mesmo sendo um ano difícil e atípico, vejo como conquistas o serviço de saúde ter desenvolvidos esses 16 pontos: ações de enfrentamento à Covid: centro de vacinação, barreiras, fiscalização, adaptação de unidades; criação dos programas Sorria Bariri e Saúde em Boa Direção; contratação através de licitação de médicos especialistas (vascular, neurologista e ginecologista); aquisições de aparelhos de ultra-som, auto tonômetro, Raio X digital, bomba vácuo, esterilizador de ambientes, computadores; início das cirurgias eletivas contratualizadas; reestruturação e novo local para o almoxarifado da Saúde; obtenção de verba de R$ 1 milhão (projeto para ampliação do Centro de Saúde, projeto de reforma do Centro de Diagnose, consultas vascular e exames ultra-som); construção de protocolos de controle e manejo do escorpião, atendimento a vítimas de violência doméstica e sexual; entrega de uniformes personalizados aos motoristas; reestruturação das unidades para retornar os atendimentos e serviços pós-covid; mutirões de limpeza e fiscalização de prédios públicos; vacina Covid itinerante; projeto de castração; 3ª conferencia em saúde; criação do cartão gestante para acompanhamento no dentista; e retomada do mutirão de prótese dentária. Espero que neste ano possamos, no mínimo, dobrar o número conquistas, visando sempre o melhor à população e aos colegas servidores.

 

Candeia – Quais as prioridades para 2022?

Marina – As prioridades são muitas, pois quando se fala em saúde todos os serviços são prioritários. Em 2022 a prioridade é aprimorar os serviços prestados à população, melhorando a qualidade no acesso aos serviços. Realizar as contratações para suprir as demandas que estão em aberto no quadro de servidores da saúde. Ampliar a oferta de consultas e exames. Buscar meios para renovar a frota de carros, em especial os micro-ônibus e vans, utilizados pela Central de Ambulâncias. Não medir esforços para que a Central de Medicamentos fique constantemente abastecida. Como dito, são muitas as prioridades, mas algumas prioridades são mais urgentes e onde devemos dar uma atenção maior.

 

Candeia – O usuário do SUS encontra maiores filas para atendimento médico e realização de exames em quais especialidades? Como minimizar ou resolver esse problema?

Marina – Em relação aos atendimentos médicos, especificamente especialistas, uma das maiores demandas que a pasta da Saúde tinha era em relação a médico vascular. Hoje essa demanda diminuiu bastante, posso até dizer que, quando comparada como a demanda inicial, estamos quase zerando essa fila após contratação, por meio de licitação, a prestação desse serviço aos nossos munícipes. Há várias outras especialidades com filas de espera ou que a oferta de vaga é pouco se comparada com a demanda, citando, como exemplo, o caso da pediatria, mas estamos trabalhando para que possamos solucionar o mais rápido possível essas carências. Quanto aos exames, um gargalo que existe e sempre existirá é em relação aos ultra-sons, exames de sangue, pois na grande maioria são exames de rotina e que são ofertadas bastantes vagas, mas a demanda aumenta exponencialmente em relação à oferta. A forma que estamos buscando para solucionar ou minimizar os problemas são, primeiramente, buscar junto ao órgão estadual, DRS Bauru, o aumento na disponibilidade de vagas para consultas com especialistas, mas, ao mesmo tempo, para não ficar dependendo somente de esfera superior, realizar análise de viabilidade para contratar, dentro das possibilidades, os profissionais necessários para suprir as necessidades.

 

Candeia – Em relação ao concurso público em andamento, quais cargos serão solicitados para atuação na área da Saúde? Onde estão as maiores carências de material humano?

Marina – Quanto ao concurso público, a pasta da Saúde é uma das prioridades para a administração municipal, posso até arriscar dizer que deve ser a pasta que terá a maior quantidade de profissionais contratados. Destaco isso porque ao longo do tempo foram vários profissionais se aposentando, pedindo a conta e até mesmo óbito, ocasionando a abertura dessas vagas e consequentemente a falta de profissional. Devem ser contratados servidores de várias áreas, como médica, enfermagem, administrativa, farmácia, enfim, para repor as vagas que estão abertas. Atualmente na Saúde é difícil pontuar um local específico com maior ou menor carência de material humano, todos os setores e unidades de alguma forma têm algum tipo de carência de material humano, mas saliento que essas necessidades hoje são supridas pelos meus colegas de trabalhos, a quem só tenho a agradecer, que não deixam os serviços pararem, sendo a base para que toda a saúde continue funcionando. As contratações inicialmente serão para formar a equipe mínima do Caps, equipe para estruturar a Farmácia Central de Medicamentos e os profissionais para compor as equipes mínimas das unidades Estratégia de Saúde da Família, médicos, enfermagem e Agente Comunitário de Saúde das unidades. Após, serão para suprir as lacunas existentes e que servirão para proporcionar melhor dimensionamento dos serviços, readequação dos atendimentos e dar qualidade de vida e trabalho aos que hoje já atuam, tirando as sobrecargas que existem aos servidores que se dispões a suprir as necessidades, o que refletirá diretamente no melhor atendimento prestado à população.

 

Candeia – Em novembro do ano passado a prefeitura realizou licitação para manutenção corretiva de 16 prédios da Saúde. Quais deles estão com problemas e precisam passar por reforma em 2022?

Marina – A Saúde é uma pasta que possui uma grande quantidade de unidades, ao todo são 16 unidades. Dessa quantidade, é prudente dizer que todas têm algum tipo de manutenção corretiva para ser feita. Porém há aquelas unidades com problemas mais específicos, estruturais, onde são necessários aportes financeiros maiores para solucionar o problema, como o caso do Centro de Diagnose, que inclusive já tem um projeto e emenda parlamentar para que seja reformado e ampliado, ficando na mesma situação o Centro de Saúde, inclusive foi veiculada essa ótima notícia, que o prefeito Abelardo conseguiu o valor de R$ 1 milhão para ser utilizado na reforma e ampliação do Centro de Diagnose e do Centro de Saúde, além de consultas médicas especializadas em vascular e exames de imagem. Ainda quanto às demais unidades de saúde, as outras 14 deverão passar por algum tipo de manutenção predial este ano, seja de menor ou maior monte, mas todas precisarão, porém serão realizadas conforme as prioridades.

 

Candeia – A informatização da Saúde é uma demanda antiga. Há possibilidade de que seja colocada em prática em 2022 de forma plena?

Marina – A informatização é uma necessidade na saúde e que devemos priorizar neste ano. Já para janeiro estamos trazendo para auxiliar nessa ação um servidor concursado da área de TI, ele avaliará a atual situação para iniciarmos as análises e viabilizar a informatização. É algo a médio e longo prazo, visto que além de equipamento se faz necessário o treinamento e adequação das equipes. A informatização dos serviços influi diretamente na qualidade do atendimento, na regulação e oferta das vagas de exames e consultas e consequentemente na melhor aplicação dos recursos públicos.

 

Candeia – Como a Saúde pretende atuar em relação à Santa Casa de Bariri, inclusive na possibilidade de aumento do repasse, já que o déficit mensal é superior a R$ 200 mil?

Marina – O Município de Bariri entende a necessidade da Santa Casa por mais recursos financeiros, e estará realizando o aumento. Quanto a valores, ainda estão sendo estudados, em decorrências da busca de fontes de financiamento alternativas, sendo essa uma das exigências do prefeito Abelardo para a diretoria de Saúde e Diretoria de Finanças. Importante salientar que no ano de 2021 a nova gestão municipal com o apoio do conselho de Administração da Santa Casa resgataram a credibilidade e o voluntariado.

 

Candeia – Sobre a vacinação para crianças de 5 a 11 anos de idade, em caso de liberação pelo Ministério da Saúde quando as doses deverão estar disponíveis em Bariri?

Marina – A vacinação de crianças de 5 a 11 anos de idade está aguardando o aval de esferas superiores. A partir do momento em que o Ministério da Saúde liberar a vacinação dessa faixa etária, o município deve aguardar o Documento Técnico emitido pelo Estado para iniciar a aplicação das doses. É um trâmite bem rápido de ocorrer, mas só podemos iniciar após as autorizações oficiais de todos os órgãos competentes. As doses que nosso município aplica são retiradas no GVE de Bauru e em geral, pela experiência nas demais faixas etárias, a partir do momento que ocorre a liberação oficial já ficam disponíveis as doses. Mas explico para a população que ocorrendo a liberação informaremos o início da aplicação pelas mídias, que aliás vem ajudando muito a divulgar as informações referentes à vacinação e notícias da Saúde. Aproveito para pedir a toda população que não deixe de tomar a vacina, seja a primeira dose, segunda ou a de reforço. Comparando a nossa situação de um ano atrás, com hospitais lotados, mortes diárias, número de casos elevando, e a nossa situação hoje, comprova-se a eficácia da vacina e a necessidade de estarmos todos vacinados, além de continuar seguindo os protocolos (máscara, álcool em gel e lavar as mãos sempre que possível).