Slider

Vicente Sérgio Barbieri Júnior – “Sabemos do quão delicado e complicado é este momento, mas teremos que passar, é inevitável, e se for possível passarmos juntos, com respeito e bom senso o fardo fica mais leve para todos”

 

Há quase um ano diversos setores econômicos em Bariri, no Estado, no Brasil e no mundo foram afetados diretamente pela pandemia do novo coronavírus (Covid-19). Para o diretor municipal de Desenvolvimento, Vicente Sérgio Barbieri Júnior, é preciso conciliar as atividades econômicas com um olhar sobre a vida humana. Segundo ele, o município precisa seguir normas superiores, como o Plano São Paulo. Destaca que é preciso haver respeito e bom senso para que todos passem por esse momento de dificuldade. Na entrevista ao Candeia, Júnior Barbieri fala também das prioridades da pasta, com destaque para a manutenção dos empregos, qualificação da mão de obra e melhoria da infraestrutura dos polos industriais. Ele é graduado em Ciências Contábeis, pós-graduado em Gestão, licenciado em Administração de Empresas e mestrando na área Gestão, Inovação e Educação. Também é coordenador do Centro Tecnológico do Estado de São Paulo e professor das Faculdades Integradas de Jaú, na área de Gestão Administrativa.

 

Candeia – Qual a situação encontrada pelo senhor na Diretoria Municipal de Desenvolvimento nesse primeiro mês de gestão?

Júnior Barbieri – A Diretoria de Desenvolvimento Econômico é uma área voltada para o apoio às pequenas, médias e grandes empresas, além de cuidar de toda área de capacitação profissional e ajudar no fomento da empregabilidade. Por esse motivo ela se torna uma pasta complexa e refém ao cenário econômico nacional. Sobre a nossa diretoria, estamos analisando todos os contratos vigentes e determinando algumas alterações que achamos necessárias para o bom andamento da pasta. Vale ressaltar que estamos fazendo um contato mais próximo principalmente com as empresas, a fim de escutar e entender melhor as demandas. Encontramos a pasta naturalmente com bastante trabalho e desafios.

 

Candeia – Quais os projetos prioritários para a pasta neste início de governo?

Júnior Barbieri – Podemos destacar algumas ações que serão prioritárias. Num primeiro momento dar todo suporte para a manutenção dos empregos, em um segundo momento vamos desenvolver alguns projetos e mudanças para capacitar principalmente nossos jovens, além de otimizar os serviços dos setores que compõem o desenvolvimento econômico, como PAT, Banco do Povo e Sebrae. Olhar para a questão da dificuldade do ingresso no mercado de trabalho é muito importante, e terá uma atenção especial. Desenvolver uma manutenção regular em nossos polos industriais se faz necessário. Importante ter estrutura disponível para poder receber possíveis novos empresários, como criação de mais áreas destinadas a este fim. Mas o que julgo mais importante é fazer a junção entre a iniciativa privada e a gestão pública, as parcerias, as PPPs são realidades, precisamos olhar para o futuro.

 

Candeia – No período de campanha eleitoral uma questão unânime entre os candidatos foi o incremento da economia com geração de mais empregos. Como viabilizar projetos nesse sentido?

Júnior Barbieri – Costumo dizer que a geração de emprego é a consequência de várias outras ações, o ente público por si próprio não gera empregos, quem gera empregos é a iniciativa privada, que arrisca o capital, que investe. Entendendo esse contexto, posso dizer que o ente público serve de apoio, escudo, é um facilitador, iniciativas como desburocratização. Uma lei específica que de fato apoie o empreendedor se faz necessária, modelos de incentivos são importantes, tudo isso são de responsabilidade das políticas públicas voltadas ao desenvolvimento. Volto a reiterar, manter os empregos que temos é essencial, olhar e ajudar o pequeno empreendedor nunca foi tão importante, dar possibilidade de crescimento é necessário. Entendo que o órgão público não faz a geração de empregos de fato, mas com certeza pavimenta a estrada para que a geração possa acontecer.

 

Candeia – Desde março do ano passado a prefeitura tem editado normas junto a setores econômicos para o enfrentamento e prevenção da Covid-19. Como conciliar a questão da saúde com a manutenção das atividades comerciais, industriais e de prestação de serviço?

Júnior Barbieri – Não tenho dúvidas que o assunto Covid-19 foi tema central de todo ano de 2020, e tenho notado que também será neste ano de 2021. Ocorre que, economicamente, o mundo foi impactado pelas restrições econômicas, e como Bariri está inserida no micro-cenário econômico, fomos e estamos sendo impactados também. Cabe destacar que as normas de enfrentamento e restrições não partem especificamente do município, como é caso de saúde pública, temos que seguir diretrizes nas quais estamos inseridos, uma delas é o Plano São Paulo, na qual estabelece uma normatização a ser seguida. Entendemos que a questão dos serviços, seja comercial, industrial preocupa, porém, olhar para a vida humana se faz necessário diante deste cenário, é importante frisar também que o chefe do executivo é responsabilizado diretamente sobre qualquer ato que coloque os munícipes em risco. Sabemos do quão delicado e complicado é este momento, mas teremos que passar, é inevitável, e se for possível passarmos juntos, com respeito e bom senso o fardo fica mais leve para todos. Aproveitando gostaria de me solidarizar aos familiares de todas as vítimas baririenses, nada neste mundo vale a vida daqueles que amamos.

 

Candeia – A pandemia acabou reduzindo as vagas formais de trabalho e aumentando a informalidade. A diretoria dispõe de projeto junto a esses profissionais sobre a necessidade e importância da formalização?

Júnior Barbieri – Vivemos uma crise de emprego desde 2015, e a mesma vem se agravando dia após dia. A questão da pandemia agravou ainda mais este cenário. É notório que quando um brasileiro perde o emprego formal, ele partirá para informalidade para obter sua renda e colocar comida na sua mesa, cabe ressaltar que não somente o município, mas a título de governo federal, temos projetos que buscam reduzir esta informalidade e gerar segurança para os informais que se lançam no empreendedorismo, a lei que regulariza os Microempreendedores Individuais (MEIs) foi uma delas, talvez a mais impactante. O município, em específico, conta com o Sebrae que dá todo esse suporte para aqueles que querem se formalizar, porém, entendo que além da formalização, temos que dar orientação e capacitação, empreender no Brasil é tarefa de super herói, seja pela falta de apoio, pela alta burocratização e até mesmo pela forte carga tributária na qual estamos inseridos. Mas o caminho mais rápido e fácil para aqueles que querem e buscam a formalização é avaliar a possibilidade de se tornarem MEIs, para aí sim fazer um planejamento, lembrando que temos o Sebrae que pode orientar sobre os caminhos a serem percorridos.

 

Candeia – A prefeitura está viabilizando estágio supervisionado na área de logística desenvolvido pela Fatec. Qual o ganho para Bariri com essa parceria?

Júnior Barbieri – Identificamos que vários setores da prefeitura carecem de procedimentos para se ter um melhor rendimento, seja dos trabalhos como da diminuição de custos. Temos um problema muito grande no que diz respeito à frota municipal. Pensando nisso, contatamos a Fatec/Jaú, que tem um programa de estágio supervisionado, que consiste em ceder o aluno de graduação para que ele cumpra as horas necessárias para concluir o curso, desta maneira não gera custo para o município. Pensando nisso, tivemos uma reunião com o diretor da Fatec e com o coordenador da graduação de Logística para passarmos nosso problema, seja na frota, na saúde, no barracão municipal, bem como na Santa Casa, fica evidente que precisamos urgentemente de um trabalho logístico que formate procedimentos de otimização dos trabalhos e consequentemente redução de custo. Estes possíveis estagiários em um primeiro momento serão alunos de Bariri que cursam a Fatec e são orientados pelo Professor Osvaldo Contador (Buga), dando início a este projeto não tenho dúvidas que todos ganharão, seja a Fatec, os alunos e principalmente a prefeitura de Bariri.