Slider

Os quase 6 mil alunos das redes municipal e estadual de Bariri voltam às aulas no dia 3 de fevereiro.
No município, são mais de 4 mil estudantes divididos entre creches, Emeis e escolas dos ensinos fundamental e Educação de Jovens e Adultos (EJA).
A rede estadual oferece o ensino fundamental 2 (6º ao 9º ano) e o ensino médio.

O Sistema Anglo forneceu apostilas no ano passado e continua a entregar o material em 2020

Rede municipal: 4 mil alunos e Sistema Anglo

Com mais de 4 mil alunos matriculados no ano letivo de 2020, a Rede Municipal de Ensino inicia as aulas no dia 3 de fevereiro.
São 673 crianças que frequentarão as creches, 693 alunos nas Emeis, 1.652 estudantes no ensino fundamental 1 (1º ao 5º ano), 851 no fundamental 2 (6º ao 9º ano) e 170 participantes do Educação de Jovens e Adultos (EJA).
A diretora municipal de Educação, Cultura e Esporte, Ana Fabíola Camargo Fanton Rodrigues, conta que na quinta-feira, dia 30, e sexta-feira, dia 31, haverá planejamento e capacitação dos professores, com participação de equipe do Sistema Anglo de Ensino. A empresa forneceu apostilas no ano passado e continua a entregar o material em 2020.
Diferentemente de 2019, neste ano a prefeitura irá entregar kits escolares e uniformes já no início do ano letivo. O motivo é que as licitações foram feitas com antecedência.
Segundo a diretora, a Creche Carmen Sola Modolin Aquilante retomará as atividades normalmente. No fim do ano passado o trabalho foi suspenso porque foram encontrados escorpiões no interior da unidade e também no entorno. O problema é que nas imediações da creche existe uma olaria desativada.
Fabíola diz que foi realizado trabalho intenso de limpeza no local. O serviço continuará a ser feito durante todo o ano.
Além da creche Carmen, a rede municipal conta com as creches Profª Leonor Mauad Carreira, Profª Maria Eugênia Borsette Masson (D. Mariquinha Masson), Profª Marina Budin, Profª Nelly Chidid e Profª Rachel de Queiroz.
São seis pré-escolas: Emei 1 Profª Laura de Almeida K. Belluzzo; Emei 2 Profª Diolanda Chuffi Neif; Emei 3 Profª Yolanda Mazza Fortunato; Emei 4 Profª Yone Belluzzo Foloni; Emei 5 Profª Djanira Monteiro Moço; e Emei 6 Profª Mirna Aparecida Marino Fischer.
Do 1º ao 5º ano são quatro escolas: Emef Profª Angela Maria Prearo Fortunato; Emef Prof. Euclydes Moreira da Silva; Emef Prof.ª Julieta Rago Foloni; e Emef Prof.ª Rosa Benatti.
As Emefs Prof. Eurico Acçolini, Profª Joseane Bianco e Prefeito Modesto Masson oferecem o ensino do 5º ao 9º ano. O EJA é ofertado na Emef Modesto Masson no período noturno.

Governador João Doria durante lançamento do Programa Inova que provocou alterações no Ensino Fundamental II e Ensino Médio

Rede Estadual: novidades no calendário, grade e carga horária

No dia 3 de fevereiro, nas voltas às aulas, alunos da rede estadual de ensino iniciam o ano letivo de 2020 repletos de novidades. As mudanças atingem calendário de férias (três paradas no ano), grade curricular, com novas disciplinas, e a carga horária, passando de seis para sete aulas diárias.
Os alunos da manhã e da tarde terão sete aulas de 45 minutos todos os dias. Atualmente, são seis aulas de 50 minutos. Quando voltarem às aulas, os estudantes do período matutino passam a sair da escola às 12h35 – não mais às 12h20. No período vespertino, a saída passará a ser às 18h35 – atualmente é às 18h20.
Os estudantes também terão mais disciplinas no currículo. Uma delas é chamada de “projeto de vida”, com atividades para buscar objetivos e sonhos e desenvolver cidadania e ética, e uma outra só sobre tecnologia. Além dessas duas, os alunos vão poder escolher mais duas disciplinas eletivas, como empreendedorismo, teatro, entre outras.
Os alunos do período noturno foram atingidos somente por parte das alterações. Eles vão cumprir o novo calendário de férias com três paradas no ano. Mas, a carga horária e a grade curricular não foram alteradas.

Calendário de férias

As mudanças anunciadas pela Secretaria de Educação atingem ainda o calendário escolar, com três paradas para recesso escolar e férias. Até hoje, o ano letivo previa férias escolares em julho e recesso escolar no final de ano.
No calendário de 2020, os alunos da rede estadual iniciam o ano letivo no dia 3 de fevereiro e encerram em 23 de dezembro.
O primeiro recesso escolar ocorre no fim do primeiro bimestre, entre 20 e 24 de abril. O segundo recesso está previsto entre 13 e 16 de outubro, no final do terceiro bimestre.
Por isso, diferente dos últimos anos, as férias escolares no meio do ano, que eram de 30 dias, passam a ser de 15 dias, ocorrendo de 10 a 26 de julho.

Inovar

Todas as mudanças integram o programa Inova Educação, criado pela Secretaria da Educação do Estado de São Paulo com o propósito de oferecer novas oportunidades para todos os estudantes do 6º ao 9º ano do Ensino Fundamental e Ensino Médio.
Segundo a secretaria, o Programa traz inovações para que as atividades educativas sejam mais alinhadas às vocações, desejos e realidades de cada um. Novidades essenciais para promover o desenvolvimento intelectual, emocional, social e cultural dos estudantes; reduzir a evasão escolar; melhorar o clima nas escolas; fortalecer a ação dos professores e criar novos vínculos com os alunos.

Replanejamento

Para absorver todas essas alterações, equipes gestoras, professores e funcionários das unidades cumpriram uma semana de replanejamento escolar. Em Bariri integram a rede estadual as escolas Profª Ephigênia Cardoso Machado Fortunato e Profª Idalina Vianna Ferro.
De 24 a 31 de janeiro, eles debateram as principais resoluções contidas no programa proposto pela Secretaria da Educação e estudaram como adaptá-las à realidade de cada escola.
A Escola Ephigênia tem cerca de 700 alunos, divididos em três períodos de funcionamento. Os alunos do Ensino Fundamental II (5º a 9º ano) cumprem período integral (das 7h às 14h15); e de Ensino Médio regular frequentam de manhã (7h às 12h35), à tarde (12h45 às 18h20); e noturno (19h às 23h). Há ainda os estudantes do Ensino Médio da Educação para Jovens e Adultos (EJA), à noite.
Os cerca de mil alunos da Escola Idalina frequentam a unidade escolar em três períodos de funcionamento. De manhã e à tarde estão os alunos do Ensino Fundamental II e os de Ensino Médio, ambos com carga horária regular. À noite estudam somente os de Ensino Médio.

Critério geográfico para vagas

As vagas oferecidas pela Rede Municipal de Ensino seguem critérios geográficos, conforme o local de moradia do interessado. São editadas portarias definindo em qual escola os pais podem matricular as crianças.
Como há preferência de algumas pessoas por determinada unidade de ensino, mesmo fora da área definida pelas portarias, a Diretoria Municipal de Educação, Cultura e Esporte oferece duas tipos de fichas. A branca é para quem reside no entorno da escola. Neste caso, os pais têm a vaga garantida.
Já a ficha amarela é direcionada a estudantes que moram mais longe do colégio. O atendimento é feito conforme ordem de chegada em fila de espera, eventualmente se sobrarem vagas.
Há casos em que os pais que apresentam endereço para a ficha branca não residem no local mencionado. Apesar de levarem conta de água ou de luz da residência, efetivamente não moram no imóvel.
A titular da pasta de Educação, Ana Fabíola Camargo Fanton Rodrigues, explica que a escola confia na boa-fé das pessoas. No entanto, se um interessado na vaga apresentar denúncia sobre falso endereço de outra pessoa, representante da unidade de ensino irá verificar a situação, inclusive conversando com vizinhos. Se houver comprovação de que o aluno reside fora da área geográfica da escola, ele perde a vaga.
O Candeia apurou que numa escola da cidade quase 10 pais “perderam” a vaga por apresentarem endereço falso.