Slider

A Mini Mundo e demais escolas da rede privada, se preparam para oferecer sistema híbrido, que combina aulas remotas e presenciais (não obrigatórias) – Divulgação

Nesta edição, o Jornal Candeia acompanhou a preparação das redes de ensino público e particular de Bariri para a volta às aulas a partir do mês de fevereiro. Os diferentes sistemas de ensino afirmam que vão cumprir os decretos, tanto do Estado como do município, e oferecer sistema híbrido, que combina aulas remotas e presenciais, não obrigatórias.

Quinta-feira, 28, no entanto, liminar obtida por sindicatos ligados aos professores – decisão da juíza Simone Gomes Rodrigues Casoretti, da 9ª Vara da Fazenda Pública da Capital – suspendeu a autorização para a retomada das atividades presenciais nas escolas públicas e particulares em todo o estado de São Paulo. Na avaliação da magistrada, escolas localizadas em áreas classificadas nas fases vermelha e laranja não devem reabrir.

Através da Procuradoria Geral do Estado (PG

E), o governo estadual recorreu da decisão liminar que contraria o Plano São Paulo e a maioria dos decretos municipais. Até o fechamento da edição não havia definição da Justiça.

 

Redes oficiais

 

De acordo com a diretora de Educação da prefeitura de Bariri, Stefani Edvirgem da Silva Borges, a rede municipal deve permanecer no modo remoto até 9 de março. Depois, pretende cumprir as determinações do Plano SP, com aulas híbridas, sendo as presenciais para 35% de alunos e de forma opcional.

As aulas híbridas (remotas e presenciais) na rede estadual São Paulo terão início no dia 8 de fevereiro, sendo a primeira semana de fevereiro dedicada à formação de equipes escolares, comunicação às famílias e apoio aos alunos.

 

Sesi retornou com reuniões de pais e aulas remotas

 

Na edição anterior, a coordenadora do Sesi de Bariri, Ana Paula Mathias da Silva, havia adiantado que a recomendação do Rede Sesi-SP é que as unidades escolares sigam decretos do Estado e do município. “As aulas e atividades presenciais vão ser retomadas, gradualmente, de acordo com a fase em que a região se encontra”, destacou a educadora.

As atividades da Rede SESI-SP tiveram início dia 25, segunda-feira, com reuniões virtuais pré-agendadas com os pais e a partir de terça-feira, 26. Durante a semana, os alunos retornaram de forma não presencial pela Plataforma Conexão Digital.

Ainda de acordo com a coordenadora, o plano de retorno às aulas presenciais prevê o atendimento de todos os protocolos de saúde, segurança sanitária.

Ao mesmo tempo haverá continuidade do ensino não presencial pela plataforma Conexão Digital até que ocorra o retorno presencial da totalidade de estudantes.

Os alunos terão dias alternados em sistema presencial (número reduzido) e continuarão os seus processos de ensino e aprendizagem sob mediação do professor, com a utilização da plataforma digital, numa abordagem de ensino híbrido (modalidade que combina práticas do ensino presencial e não presencial).

 

Mini Mundo e Colégio Max voltam com acolhimento e sistema híbrido

 

De acordo com Gislaine Macena Camilo, diretora e proprietária das escolas Mini Mundo e Colégio Max, as unidades escolares retornam no dia 1º de fevereiro com acolhimento aos alunos, dentro da proposta de 35% de alunos matriculados e em dias pré-determinados para o Ensino Fundamental I e Fundamental II.

Ainda de acordo com a diretora, os alunos do Fundamental II e Médio retornam de forma remota com Chromebooks fornecidos pela escola.

A partir do dia 8 de fevereiro, as unidades iniciam fase de sistema híbrido (aulas presenciais e não presenciais), com rodízio semanal e/ou diário conforme a turma e dependendo do número de alunos. Segundo a proposta, o sistema presencial é opcional.

Gislaine afirma que a Educação Infantil só receberá e atenderá 35% de alunos matriculados, para poder ter um funcionamento diário com segurança total.