Slider

Professora da Coeba utiliza a Plataforma Plurall em aula para alunos – Divulgação

Entre as escolas da rede particular de Bariri, a Cooperativa Educacional de Bariri (Coeba) retornou do período de férias na quarta-feira, dia 22.

Por conta da suspensão das atividades presenciais determinada pelo governo estadual por causa da pandemia do novo coronavírus (Covid-19), a unidade de ensino entrou de férias no dia 23 de março. Esse período de um mês substituiu as férias do mês de julho.

Para a continuidade das aulas, a Coeba decidiu utilizar o Plurall, plataforma de estudos e ensino online para alunos, responsáveis, professores e coordenadores criada pelo Sistema Anglo.

O recurso que antes era utilizado pelos alunos do ensino fundamental 2 e médio, agora foi estendido às turmas do infantil e fundamental 1. A plataforma pode ser acessada por celular, tablet ou desktop. A vantagem é que as aulas ficam gravadas na plataforma. A atualização das aulas é diária, conforme o calendário definido no início do ano.

Outra medida tomada pela cooperativa é que às sextas-feiras, das 16h às 18h, os pais passam na escola em sistema de drive thru (sem descer do veículo) para a retirada de material que será utilizado durante a semana. Na semana seguinte as atividades são entregues no colégio e novo material é retirado.

 

Max e Sesi

 

Devido à pandemia do novo coronavírus (Covid-19), o grupo das escolas Mini Mundo e o Colégio Max Beni Macena substituiu o período de férias de julho para o mês de abril: de 1º a 30. Isto é, na próxima semana as duas unidades ainda estarão sem aulas, retornando no dia 4 de maio.

A rede escolar Sesi-SP também antecipou as férias de julho, antecipadas de 7 de abril a 8 de maio.

De acordo com a instituição, as atividades do plano de estudo domiciliar (PED) devem ser entregues aos professores, assim que voltarem às aulas, para o acompanhamento e registro da aprendizagem dos alunos.

A revisão dos conteúdos será realizada em sala de aula, quando as crianças, jovens, professores e coordenadores retornarem às escolas.

Nesse período, dúvidas administrativas, voltadas à secretaria escolar, estão sendo resolvidas por e-mail.

Para manter a rotina e incentivo aos estudos, as plataformas geekie, biblioteca virtual, dragonlearn e portal Sesi Educação estão com acesso liberado para os alunos.

Vale destacar que o governo federal baixou medida provisória que desobriga as redes de ensino básico e superior a cumprir algumas exigências previstas na Lei de Diretrizes e Bases (LDB), como o cumprimento de 200 dias letivos.

 

Redes municipal e estadual

 

Em relação à rede municipal, a Diretoria de Educação prevê que as aulas à distância devem durar até o final de abril, mais tardar até início do mês de maio.

A contagem tem como base a deliberação do Conselho Estadual de Educação (CEE 177/2020), que fixa normas quanto à reorganização dos calendários escolares, devido ao surto global do Coronavírus no Estado de São Paulo. Segundo o documento, 20% das aulas podem ser no sistema semipresencial (ensino à distância).

A data correta do término das atividades via internet depende de alteração no calendário escolar ainda em estudo junto à administração municipal.

Quanto à rede estadual, o governo anunciou no dia 16 de abril a distribuição de kits com material impresso contendo apostilas de matemática e língua portuguesa, gibis da Turma da Mônica, livros paradidáticos e manual de orientações às famílias e do Centro de Mídias da Educação de São Paulo (CMSP).

O material contempla informações aos pais, aos seus filhos e contribui para o estudo à distância.

Além de ser um material de estudos aos alunos, os kits contemplam informações também aos pais e responsáveis sobre como estudar em casa no período de suspensão das aulas presenciais.

O material organizado pela Secretaria de Estado da Educação será entregue para os 3,5 milhões de alunos matriculados na rede estadual de São Paulo. Além dos estudantes das escolas estaduais, alunos de mais de 470 redes municipais do Estado também serão contemplados com o manual de orientação aos pais.

As aulas na rede estadual de São Paulo estão suspensas desde o dia 23 de março como medida de controle à propagação do coronavírus. A secretaria antecipou o período de férias e recesso escolar, e as aulas que contarão como dias letivos recomeçam na segunda-feira, dia 27.

De 22 a 24 de abril, professores e todos os servidores das 5,1 mil escolas estaduais receberam formação com orientações sobre a forma de atuação durante o período de aulas suspensas.