Slider

Diretora municipal de Educação, Stefani Borges, diz que calendário escolar será mantido – Divulgação

O governo estadual anunciou que desde segunda-feira (15) os 3,3 milhões de alunos da rede estadual de São Paulo iriam iniciar, antecipadamente, o período de recesso, que seria no mês de abril e outubro, conforme o calendário escolar.

A recomendação é para que todas as atividades nas escolas sejam reduzidas ao mínimo necessário para diminuir a circulação de pessoas. O recesso será de duas semanas e vai até o dia 28 de março. A medida ocorre por conta das restrições da fase emergencial do Plano São Paulo.

De acordo com o governo estadual, as escolas das redes municipal e particular têm autonomia para decidir se vão ou não acompanhar o calendário da rede estadual, antecipando o recesso.

Em Bariri, não haverá mudanças no calendário escolar. De acordo com a diretora municipal de Educação, Stefani Edvirgem da Silva Borges, pelo plano de carreira, os professores têm direito a 15 dias de recesso. No mês de janeiro foi concedido recesso entre os dias 4 e 18, além de 10 dias de férias, entre 19 e 28 de janeiro.

A pasta considera inviável adiantar as férias para os próximos dias, pois é necessária dotação orçamentária e 30 dias de antecedência para organizar tudo e assim concedê-las.

Em relação ao retorno das aulas presenciais, a diretoria de Educação entende que no momento há dificuldades em permitir as atividades em sala de aula nas fases Vermelha e Laranja do Plano São Paulo. O decreto atualmente vigente em Bariri determina as aulas remotas até 29 de março.

Com o aumento de casos do novo coronavírus, em que o sistema de saúde estadual está quase em colapso, o governo decidiu incluir todo o Estado na fase emergencial do Plano SP. A ideia é restringir ao máximo a circulação de pessoas, incluindo nas escolas.