Slider

Padre Leandro fala de identificação com a comunidade que é fonte de louvor e devoção à Nossa Senhora: “sou mariano” – Rosana Coletta/Candeia

Ontem, 6 de março, o bispo diocesano de São Carlos, Dom Paulo Cezar Costa, realizou posse de Padre Leandro Silva Pimentel, 29, como novo administrador da Paróquia do Santuário Nossa Senhora Aparecida, no Jardim Nova Bariri. O rito ocorreu durante missa das 19h30, no Santuário.

O novo sacerdote já está residindo em Bariri e no dia 27 de fevereiro, Quarta-feira de Cinzas, celebrou a primeira missa na comunidade. Desde então tem conhecido a paróquia com visitas pastorais e contato com os meios de comunicação.

Quarta-feira, 4, ele esteve na redação do Jornal Candeia e comentou sobre a vinda para Bariri. Disse que ficou contente, pois já tinha boa impressão local, uma vez que estagiou como seminarista na Paróquia de Santa Luzia, durante a gestão de Padre Paulo Facin.

Afirmou que foi imediatamente “bem acolhido” pela comunidade do Santuário e que, desde a celebração da primeira missa, as manifestações são de carinho e amizade.

Outra identificação com a comunidade diz respeito à sua devoção à Nossa Senhora. Como mariano afirma estar empolgado para trabalhar em local que tem a Padroeira do Brasil como fonte de louvor e devoção.

Antes de vir para Bariri, ele passou 20 dias cobrindo o período de férias do pároco Jorge João Aparecido Nahra, na Igreja do Senhor Bom Jesus de Matão. “Ele é de daqui da Bariri”, disse, reafirmando a coincidência com a cidade.

Padre Leandro nasceu em São Carlos, onde passou infância, adolescência e se ordenou sacerdote em agosto de 2018, há um ano e meio.

Conta que entrou no seminário de Araraquara com 17 anos, depois fez Filosofia em São Carlos e Teologia em Campinas.

Em dezembro de 2017 concluiu a formação, foi ordenado diácono e enviado à paróquia de Itirapina para auxiliar Padre José Donizete de Oliveira.

A primeira paróquia como administrador ocorreu após ordenação, em 2018, e que unia três comunidades: Nossa Senhora de Guadalupe, São Bento e Rosa Mística, na periferia de São Carlos. “Era uma comunidade sacerdotal de 65 mil habitantes no bairro Cidade Araci”, ressalta.

Nos próximos dias pretende intensificar atuação junto movimentos e pastorais das comunidades que compõem a Paróquia do Santuário.