Composição 1_1
Composição 1_1

Moto com escapamento adulterado: problema ocorre em praticamente toda a cidade – Divulgação

O excesso de ruído provocado por veículos, em especial motocicletas, é um problema que vem se arrastando há tempos em Bariri.

Em praticamente toda a cidade há pessoas que empinam motos e provocam “estouros” no escapamento. A situação é mais complicada aos finais de semana e nas madrugadas, quando moradores querem dormir e não conseguem por causa do barulho intenso. Há filmagens e comentários de pessoas nas redes sociais.

O capitão da Polícia Militar (PM) Alexandre Urbano, comandante da 3ª Companhia, sediada em Bariri, relata que nos dias 24 e 25 de dezembro a corporação recebeu vários chamados por causa de motociclistas fazendo algazarra. No dia 24, inclusive, houve necessidade de interdição do Lago Municipal com quatro viaturas.

Segundo ele, a maioria dos veículos não possui placa de identificação. Policiais acompanharam e abordaram dois condutores em datas distintas. Ambos foram apresentados na Delegacia de Polícia, sendo elaboradas 11 autuações.

Urbano afirma que as motocicletas não foram apreendidas por falta de guincho e pátio na cidade.

“O fato de não termos serviço de pátio e guincho dificulta o trabalho policial, pois cria um sentimento de impunidade nos infratores”, diz o capitão da PM. “Eles permanecem com suas motocicletas mesmo após o cometimento de crimes e infrações graves”.

O diretor municipal de Administração, Marcelo Lenharo, diz que o convênio entre governo estadual e prefeitura está pronto, faltando apenas o Departamento Estadual de Trânsito (Detran) fazer o comunicado para assinatura do documento.

O próximo passo a ser adotado pelo poder público local é a concessão do serviço de pátio e guincho à empresa interessada em participar de processo licitatório.