Slider

Elisa e os filhos Felipe e Fernando: “saímos do luto e fomos à luta” – Divulgação

A vida da professora Maria Elisa Moretto, 58 anos, teve uma mudança de rota abrupta há quase dois anos.

Seu filho Felipe Piotto, 24 anos, envolveu-se num acidente de trânsito que, literalmente, o deixou entre a vida e a morte. Não só ela, como também familiares e amigos entraram numa corrente positiva para que Felipe pudesse viver. A torcida e as orações deram resultado.

Exatamente no dia 22 de junho de 2018 o então estudante de educação física envolveu-se num acidente na rodovia SP-261, perto de Boraceia.

Como estava sozinho e o automóvel foi parar longe da estrada, dificultando a visualização e o acesso ao carro, o socorro demorou a chegar.

Felipe foi levado ao pronto-socorro da Santa Casa de Bariri e depois foi transferido à Unidade de Terapia Intensiva (UTI) da Santa Casa de Jaú, onde permaneceu por dois meses.

Na época, o diagnóstico inicial foi traumatismo crânio-encefálico gravíssimo. Elisa lembra que os médicos relataram que se Felipe sobrevivesse, o que era quase impossível, ficaria em estado vegetativo.

“No meu desespero de mãe, clamei a Deus que tivesse misericórdia e permitisse que meu filho vivesse”, diz Elisa. “Ele permitiu! A partir daí saímos do luto e fomos à luta.”

Felipe com familiares e amigos em casamento em dezembro do ano passado – Divulgação

Reabilitação

 

“Enquanto família, podemos afirmar que a dor foi grande, mas a coragem, a determinação, a fé e a perseverança foram muito maior”, destaca a professora. “Nos unimos e nos dedicamos em cuidar da melhor maneira possível para que tivesse condições necessária para sua reabilitação.”

Familiares e amigos foram aprendendo a lidar com a difícil situação. O aprendizado é diário, dando conta do que é preciso.

Houve investimentos em tratamentos como fisioterapia, fonoaudiologia, terapia ocupacional e, atualmente, equoterapia, todos primordiais para a reabilitação de Felipe.

Atualmente, o jovem apresenta movimentos corporais, alimenta-se normalmente, fala e voltará a andar.

“Diante das adversidades que a vida nos apresenta, precisamos estar atentos, ser ousados na fé, orar com insistência e perseverança”, diz Elisa.

“Por nós mesmos somos fracos, nada conseguimos. Precisamos da família, dos amigos, mas em primeiro lugar precisamos da ação divina, a presença do Espírito Santo em nossa vida.”

A professora e mãe finaliza citando o Salmo 117: “Dai graças ao Senhor porque Ele é bom. Eterna é a sua misericórdia.”