Slider

Manancial São Luiz está em situação crítica: lagoa abastece praticamente metade da cidade – Divulgação

Moradores de diversas regiões de Bariri têm sentido a falta d’água nas últimas semanas. O problema ocorre principalmente por causa da escassez de chuva e do alto consumo no município.

Conforme o pluviômetro instalado na Della Coletta Bioenergia (DC Bio), em agosto choveu 33 milímetros (mm) em Bariri. No mês passado as precipitações somaram 9mm. Desde 1995 a 2019, a média histórica para setembro é de 70,4mm.

Ou seja, no mês passado praticamente não choveu em Bariri e neste mês a chuva praticamente não caiu, com exceção de baixa precipitação na madrugada de anteontem (8).

Em relação ao consumo, o Serviço de Água e Esgoto do Município de Bariri (Saemba) registrou aumento de 5,3% entre 2017 e 2020 (confira no quadro). A tabela registra consumo de água por metros cúbicos (m³).

Dessa forma, para calcular o consumo em litros é preciso multiplicar o valor por 1.000. De janeiro a setembro de 2020, por exemplo, 1.845.922m³ multiplicados por 1.000 litros perfizeram 1,845 bilhão de litros de água.

 

Manancial

 

Quem tem sentido bastante a falta d’água é o Manancial São Luiz, que abastece 50% da cidade.

De acordo com o superintendente do Saemba, Heliton Albranti, desde o dia 2 de outubro estão sendo desligadas as bombas que ficam no manancial por volta das 20h30.

Normalmente as bombas eram desligadas às 24h. Com a escassez de chuvas das últimas semanas a autarquia passou a desligar os equipamentos às 22h, mas depois foi preciso adiantar o horário.

De acordo com Albranti, o objetivo com essa medida é recompor a lagoa. Ele pede que a população economize o máximo de água possível e use somente para o essencial.

Outro problema ocorreu recentemente no Jardim dos Ipês. Devido ao grande consumo de água no bairro, a autarquia fechou o registro que abastece o bairro às 20h30h, voltando a abrir o dispositivo às 6h30 do dia seguinte.

Essa medida foi tomada em alguns dias desta semana. A ação é necessária devido ao consumo elevado de água no bairro e para que a autarquia possa restabelecer o reservatório.

No fim de semana passado, moradores do Jardim Maravilha reclamaram ao Candeia da falta d’água em residências há pelo menos três dias. Equipe do Saemba foi até o local verificar o problema, decorrente da falta de pressão na rede.

 

Consumo de água em Bariri – em metros cúbicos (m³)

 

Período                                          Residencial             Comercial            Pública                 Total

Janeiro a setembro/2017            1.654.856                71.106                   26.685                   1.752.647

Janeiro a setembro/2018            1.672.910                73.911                   25.856                   1.772.677

Janeiro a setembro/2019            1.731.244                75.174                   3.750                     1.810.168

Janeiro a setembro/2020            1.774.890                68.074                   2.958                     1.845.922

 

Fonte: Saemba