Composição 1_1
Composição 1_1

Raiz de árvore exposta por causa de erosão perto de ponte para pedestre: risco de queda de árvores – Alcir Zago/Candeia

Vários trechos do Córrego do Sapé, na Vila Americana, em Bariri, estão com erosão acentuada. Principalmente nos períodos de chuvas intensas as margens do curso d’água vão sendo levadas pela força das águas.

Em alguns trechos a erosão está perto de calçamento onde pessoas fazem caminhadas. Em outros há raízes de árvores expostas, com possibilidade de queda delas.

Em 2013, por exemplo, as margens do Córrego do Sapé e do Ribeirão do Sapé, na Vila Americana, sofreram com a ação das chuvas e com incorreções no leito dos cursos d’água.

Erosão nas proximidades da Rua Benedito Pereira Aguiar fez que o barranco chegasse à calçada, provocando a queda de uma árvore. A saída emergencial adotada pela administração municipal foi o despejo de pedras rachão nas margens do córrego. Em outra oportunidade uma árvore caiu sobre o muro da frente de oficina mecânica.

Como se trata de Área de Preservação Permanente (APP), é preciso que o poder público obtenha autorização da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) para as intervenções necessárias.

Em 2015, a prefeitura realizou licitação para contratar Projeto de Recuperação e Renaturalização dos Córregos Sapé, Godinho e Ribeirão do Sapé em seus trechos urbanos.

A vencedora da disputa foi a empresa Kadima Engenharia Ltda com valor de R$ 83.382,00. O documento foi concluído e entregue ao governo municipal em janeiro de 2017. O pagamento foi feito com recursos do Fehidro.