Composição 1_1
Composição 1_1

Em seu primeiro discurso como presidente, ele pregou união do país

Jair Bolsonaro, ao lado de Michelle, se emocionou durante o trajeto em carro aberto January – REUTERS/Ricardo Moraes

O presidente eleito, Jair Messias Bolsonaro, e seu vice, general Hamilton Mourão, assinaram ontem, em sessão extraordinária realizada no Congresso Nacional, em Brasília, o termo de posse para o mandato de 2019 a 2022. “Estou casando com vocês”, brincou o 38º presidente enquanto assinava o termo com parlamentares presentes. Pouco antes, durante a sessão comandada pelo presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), Bolsonaro e seu vice leram o compromisso com a Constituição e ouviram do 1º secretário da mesa, deputado Fernando Giacobo (PR-PR), a leitura do termo de posse.

Em seu primeiro discurso como presidente, Jair Bolsonaro (PSL) pregou um pacto com a sociedade e fez acenos à sua base eleitoral, ao pregar contra ideologia. Bolsonaro também pregou união, reconstrução do País, compromisso com uma sociedade sem discriminação e falou em revigorar a democracia.

“Esses desafios só serão resolvidos mediante um verdadeiro pacto nacional entre a sociedade e os poderes Executivo, Legislativo e Judiciário na busca de novos caminhos para um novo Brasil. Uma de minhas prioridades é proteger e revigorar a democracia brasileira trabalhando arduamente para que ela deixe de ser apenas uma promessa formal e distante”, disse.

“A construção de uma nação mais justa e desenvolvida requer a ruptura com práticas que se mostram nefastas para todos nós”, afirmou.

“A irresponsabilidade nos conduziu à maior crise ética, moral e econômica de nossa história. Hoje começamos um trabalho árduo para que o Brasil inicie um novo capítulo de sua história. Um capítulo no qual o Brasil será visto como um país forte, pujante, confiante e ousado. Reafirmo meu compromisso de construir uma sociedade sem discriminação e divisão”, disse. Também falou em partilhar o poder com estados e municípios.

Bolsonaro falou por dez minutos em cerimônia no Congresso Nacional, após assinar o termo de posse. O presidente começou agradecendo a Deus por estar vivo, após ter sofrido um ataque a faca durante campanha em Juiz de Fora (MG).

“Minha campanha eleitoral atendeu ao chamado das ruas e forjou o compromisso de colocar o Brasil acima de tudo, e Deus acima de todos. Por isso, quando os inimigos da Pátria, da ordem e da liberdade, tentaram por fim a minha vida, milhões de brasileiros foram às ruas. Uma campanha eleitoral transformou-se em um movimento cívico. Cobriu-se de verde e amarelo, tornou-se espontâneo, forte e indestrutível, e nos trouxe até aqui.”

Terminou repetindo o bordão: “Brasil acima de tudo e Deus acima de todos”. “Trabalharei incansavelmente para que o Brasil se encontre com o seu destino e se torne a grande nação que todos queremos.”

Fonte: Jcnet

Salário Mínimo

Decreto assinado pelo presidente Jair Bolsonaro e publicado nesta terça-feira (1º) em edição extra do “Diário Oficial da União” fixou o salário mínimo em R$ 998 neste ano. O valor atual é de R$ 954.

Com isso, o valor ficou abaixo da estimativa que constava do orçamento da União, de R$ 1.006. O orçamento foi enviado em agosto do ano passado pelo governo Michel Temer ao Congresso.

O que a equipe econômica do governo Michel Temer dizia é que a inflação de 2018 (um dos fatores que determinam o valor) vai ser menor que o projetado anteriormente – quando foi proposto salário mínimo de R$ 1.006 em 2019.

De acordo com informações do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Sócioeconômicos (Dieese), o salário mínimo serve de referência para o rendimento de cerca de 48 milhões de trabalhadores no Brasil.

Fonte: G1