Composição 1_1
Composição 1_1

A partir da esquerda, Luiz Carlos Ferraz do Amaral, Angélica Fanti Moço, Francisco Leoni Neto, Jésus Fernandes da Costa Junior e Marco Antonio Gallo – Robertinho Coletta/Candeia

Alcir Zago

O prefeito Francisco Leoni Neto (PSDB) anunciou na tarde de anteontem, dia 14, na Santa Casa de Bariri, que a gestão do hospital passará a ser exercida pelos médicos Marco Antonio Gallo, Luiz Carlos Ferraz do Amaral e Jésus Fernandes da Costa Junior. Também participou do encontro a diretora municipal de Saúde, Angélica Fanti Moço.
No início desta semana o então interventor, Fábio Zenni, comunicou sua saída após ter sido aprovado em concurso público (leia box).
O cargo de interventor será ocupado efetivamente por Gallo. Ele diz que aceitou exercer a função após o prefeito concordar em nomear Amaral e Costa Junior como auxiliares. O acordo foi fechado na noite de quarta-feira, dia 13, no gabinete do prefeito.
“Esse será um dos maiores desafios da minha vida”, afirma o novo administrador. “O hospital melhorou, mas a situação ainda é ruim.”
Na opinião de Amaral, a participação de três médicos na gestão da Santa Casa permitirá um diagnóstico mais preciso dos problemas enfrentados pela instituição de saúde, com melhoria do atendimento à população.
O médico, que atua como gastroenterologista, comunicou que voltará a atender na rede municipal e a realizar cirurgias eletivas via Sistema Único de Saúde (SUS).

R$ 400 mil

Outra medida tomada por Neto Leoni foi prorrogar a intervenção do hospital por mais seis meses, até setembro deste ano.
O prefeito disse que encaminhará projeto de lei à Câmara para repasse de R$ 400 mil por mês ao pronto-socorro, com pedido para votação em caráter de urgência. Hoje o montante é de R$ R$ 350 mil por mês. O aumento é de 14%.
Questionado pelo Candeia sobre problemas na pactuação da saúde, com jogo de empurra entre as santas casas de Bariri e de Jaú, Gallo disse que o impasse é com as cirurgias na área de ortopedia. Uma mulher esperou quase duas semanas para fazer procedimento no ombro (leia matéria nesta edição).
Adiantou que conversará com médico ortopedista Luiz Moreschi Neto sobre o assunto e que pode trazer outro profissional para realizar as cirurgias de baixa e média complexidade.

 Fábio Zenni menciona vantagem financeira

Gestor da Santa Casa de Bariri até quarta-feira, dia 13, Fábio Zenni foi nomeado para o cargo assim que houve intervenção da prefeitura de Bariri no hospital, em 10 de setembro do ano passado.
Na sexta-feira, dia 8, ele soube que havia sido aprovado num concurso da Sorri. Conversou com o prefeito Francisco Leoni Neto (PSDB) no mesmo dia.
Zenni irá trabalhar com dentista em Bauru e acumulará o cargo no Centro de Especialidades Odontológicas (CEO), em Bariri. Segundo ele, a vantagem financeira é maior aceitando trabalhar nos dois locais.
Zenni avalia que os cinco meses em que permaneceu à frente do hospital foram difíceis, mas com conquistas.
Cita a definição de mais um médico no pronto-socorro. São dois profissionais das 7h às 19h e mais dois no outro período.
Comenta que adquiriu eletrocardiograma novo, compra de medicamentos, reforma de alguns quartos por meio de doações, monitoramento por câmeras na farmácia e investimento em ar condicionado no centro cirúrgico.
Zenni diz que a maternidade não funcionava plenamente por falta de médicos. A contratação de duas novas pediatras fez com que aumentassem os partos em Bariri.
O antigo gestor buscou viabilizar emendas parlamentares bloqueadas junto à Caixa Federal em Bauru. De acordo com ele, houve liberação do dinheiro para reformas da lavanderia, pediatria, maternidade e parte elétrica. Acredita que o dinheiro deve ser liberado até o fim do ano.
Para ele, o maior desafio do próximo administrador será com relação a receita. “A parte financeira é a mais complicada, a falta de recursos é muito grande”, comenta.

Fábio Zenni deixou gestão do hospital na quarta-feira, dia 13, e acumulará empregos públicos em Bauru e em Bariri Robertinho Coletta/Candeia