Slider

Valor da multa será decidido nos próximos dias – Foto: Alcir Zago/Candeia

m coletiva de imprensa na tarde deste domingo (14), o prefeito Abelardo Maurício Martins Simões Filho (MDB) afirmou que pretende aumentar a fiscalização quanto ao uso de máscara no município, incluindo vias e espaços públicos.
Desde maio do ano passado a medida de proteção é obrigatória em todo o Estado de São Paulo.
Abelardinho Simões disse que irá utilizar a estrutura de fiscalização do município, composta por fiscais fazendários, bombeiros municipais, entre outros servidores públicos.
Ao Candeia, ele disse que o valor da sanção ainda está em estudo e que deverá ser divulgado na coletiva de imprensa desta segunda-feira (15).
Outra medida é criar a figura do desaglomerador, para atuar principalmente em supermercados, bancos e casas lotéricas. O trabalho será executado por funcionários públicos e funcionários das próprias empresas.
A administração municipal irá acompanhar o decreto estadual – fase emergencial do Plano SP –, que entra em vigor nesta segunda-feira (15). Também estão em estudo medidas mais restritivas.

Santa Casa e barreiras

Na coletiva, o gestor geral da Santa Casa de Bariri, Mozart Marciano, contou que nas últimas 24 horas houve um óbito, quatro altas e quatro internações no hospital.
Há 19 pessoas em leitos de enfermagem e sete na unidade intermediária (semi-UTI), sendo que duas delas estão entubadas, em estado grave.
Nas últimas 24h a Santa Casa tentou transferir cinco pacientes para outras unidades de saúde (via Cross), mas não houve oferta de vagas.
Em relação às barreiras sanitárias, foram parados 976 veículos nas últimas 24h. No boletim anterior foram 461. A diferença é que as barreiras no sábado foram mantidas até às 22h, contra 18h dos dias anteriores.
Apenas uma pessoa estava com temperatura alta. Ela foi orientada a procurar o pronto-socorro.
Com apoio do Corpo de Bombeiros e polícias Militar e Civil, a prefeitura mantém fiscalização de edículas, ranchos e propriedades às margens de rios.
Segundo Airton Pegoraro, responsável pela Vigilância Sanitária, há conscientização muito grande. Tanto que vizinhos têm denunciado possíveis aglomerações em edículas e ranchos. Segundo ele, todos os comunicados são verificados, com orientação ou aplicação de multa.