Slider

Imunizante é aplicado em dose única – Itamar Aguiar/Palácio Piratini

Bariri aplicou nas últimas horas 120 doses da vacina Janssen contra a Covid-19. O imunizante é aplicado em dose única.
Conforme o relatório de vacinação disponibilizado pela Diretoria Municipal de Saúde, até o momento Bariri aplicou 19.459 doses de vacina contra o novo coronavírus.
Além da Janssen, são utilizadas a Coronavac, Astrazeneca e Pfizer.
Até o momento Bariri continua a vacinar pessoas com 43 anos ou mais sem comorbidades. A Diretoria de Saúde aguarda a chegada de mais doses para abrir a imunização para outras faixas etárias.

Veja abaixo as diferenças entre as vacinas já aprovadas no Brasil:

CoronaVac

A vacina do Butantan utiliza a tecnologia de vírus inativado (morto), uma técnica consolidada há anos e amplamente estudada. Ao ser injetado no organismo, esse vírus não é capaz de causar doença, mas induz uma resposta imunológica. Os ensaios clínicos da CoronaVac no Brasil foram realizados exclusivamente com profissionais da saúde, ou seja, pessoas com alta exposição ao vírus.

AstraZeneca

vacina Oxford,AstraZeneca

Foi desenvolvida pela farmacêutica AstraZeneca em parceria com a universidade de Oxford. No Brasil, é produzida pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). A tecnologia empregada é o uso do chamado vetor viral. O adenovírus, que infecta chimpanzés, é manipulado geneticamente para que seja inserido o gene da proteína “Spike” (proteína “S”) do Sars-CoV-2.

Pfizer

O imunizante da farmacêutica Pfizer em parceria com o laboratório BioNTech se baseia na tecnologia de RNA mensageiro, ou mRNA. O RNA mensageiro sintético dá as instruções ao organismo para a produção de proteínas encontradas na superfície do novo coronavírus, que estimulam a resposta do sistema imune.

Janssen

Do grupo Johnson & Johnson, a vacina do laboratório Janssen é aplicada em apenas uma dose. Assim como o imunizante da Astrazeneca, também se utiliza da tecnologia de vetor viral, baseado em um tipo específico de adenovírus que foi geneticamente modificado para não se replicar em humanos.

Vale ressaltar que comparar a eficácia das vacinas e tentar eleger a melhor entre elas pode levar a conclusões enganosas. Isso porque os imunizantes foram desenvolvidos a partir de técnicas diferentes e testados em momentos, locais e em populações com nível de exposição ao vírus diferentes. Houve rigor científico em todos os testes e dados que comprovaram segurança e eficácia.

Fonte: Butantan