Composição 1_1
Composição 1_1

A advogada de Bariri, Aline Silva Fávero, 42 anos, integra a chapa que irá dirigir a Ordem dos Advogados do Brasil de São Paulo (OAB-SP) no triênio 2019/2021, como vice-presidente da Caixa de Assistência dos Advogados de São Paulo (Caasp). É a primeira vez que o município tem uma integrante da advocacia em cargo tão representativo para a classe. Para Aline, a função que irá exercer é um desafio a mais na atuação destacada que vem desempenhando dentro da maior entidade representativa do Direito no país, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). Até dezembro, Aline atuou como conselheira estadual o que lhe permitiu, entre outros privilégios, a oportunidade de conviver e aprender com grandes lideranças da advocacia de todo o Estado. Em entrevista ao Candeia, Aline comenta sobre importância da eleição do jovem advogado bauruense, Caio Augusto Silva dos Santos, para a presidência da OAB-SP. Também relata as prioridades da nova gestão da OAB paulista e vê com otimismo o fato do projeto ter sido construído com as bases.

Candeia – Você integra a chapa que irá dirigir a Ordem dos Advogados do Brasil de São Paulo (OAB-SP) no triênio 2019/2021 como vice-presidente da Caixa de Assistência dos Advogados de São Paulo (Caasp). Por favor explique o que representa o cargo e a função.

Aline Fávero – A Caixa de Assistência dos Advogados de São Paulo (Caasp) é uma entidade beneficente, sem fins lucrativos, com personalidade jurídica e patrimônio próprios, autonomia financeira e administrativa, que tem como finalidade estatutária prestar assistência social aos advogados e estagiários regularmente inscritos na OAB SP e seus respectivos dependentes. Caasp hoje mantém os serviços de farmácia, livraria, odontologia, assistência médica – por rede credenciada e planos de saúde, clube de benefícios com desconto aos advogados nos mais diversos ramos de atividade, desenvolve atividades de esporte e lazer e tem como sua mais nobre função, o pagamento de benefícios pecuniários ao advogado em situação de carência. Na Caasp, cada diretor tem função definida. A pasta da vice- presidência abrange a direção dos setores de saúde, odontológico e farmácia e a coordenação comissões especiais. Além disso, todos os diretores julgam os recursos dos requerimentos dos benefícios pecuniários e decidem, em conjunto as questões administrativas da Entidade.

Candeia – O que experiência representa em sua trajetória profissional?

Aline Fávero – A Caasp é um novo desafio. Saio de minha zona de conforto, entretanto, minha experiência de presidente de subseção e de conselheira secional serão um diferencial para minha atuação na Caixa, juntamente com meus pares, que também são todos dirigentes de Ordem com vasta folha de serviços prestados à nossa Instituição. Só tenho a agradecer à advocacia de Bariri e ao nosso futuro presidente, Caio, por me confiarem a oportunidade de ocupar um cargo de tamanha importância dentro de nossa OAB. Retribuirei com muita dedicação e trabalho.

Candeia – Qual a importância da eleição do advogado bauruense Caio Augusto Silva dos Santos para a presidência da OAB-SP?

Aline Fávero – A eleição do Caio é uma referência histórica por ser o primeiro advogado do interior e o primeiro presidente de subseção a comandar a OAB/SP – a maior secional da Ordem dos Advogados do Brasil, com aproximadamente 350 mil inscritos. Além disso, Caio na presidência tem grande relevância para a classe, pois todo o projeto proposto pela Chapa 11 foi construído pelas bases, a começar pela indicação de seu nome à presidência, que foi um clamor de mais de 170 presidentes de subseção de todo o Estado, ante sua excelente atuação na Secretaria Geral nas duas últimas gestões.

Candeia – O que significa construir projeto pelas bases?

Aline Fávero – Tendo aceito o desafio, Caio dos Santos passou a definir suas propostas e composição da chapa ouvindo a advocacia de todo o Estado de São Paulo através dos colégios de presidentes de cada região, que indicaram nomes para a composição da chapa e as necessidades e anseios   da classe para a Construção do plano de gestão. O resultado foi uma chapa plural, com representantes da advocacia de todo o Estado – interior, capital e litoral, com integrantes das mais diversas áreas de atuação do Direito, com o maior número da história da OAB de representantes de advogadas mulheres e da advocacia negra, unindo jovens e mais experientes, levando-se em consideração o mérito e a representatividade, sem privilegiar sobrenomes, condição financeira ou tamanho das subseções. Em resumo, somos todos, inclusive nosso Presidente eleito, advogados militantes, que lutam por uma OAB mais corajosa, representativa e transparente.

Candeia – Relate as prioridades da nova gestão.

Aline Fávero – Nosso projeto foi balizado nos pilares da independência, descentralização e transparência.  Uma das propostas é a descentralização e maior autonomia para as 239 subseções do Estado, definindo orçamento para cada uma, de forma que o trabalho, de fato, possa acontecer perto dos Advogados, com atendimento mais eficaz às demandas locais. A nossa proposta de resgate da independência institucional, pressupõe união e coragem: vamos fazer uma gestão em que a OAB respeitará a todos os poderes, mas não será subserviente a nenhum deles pois, defender a categoria é defender o cidadão antes de mais nada, porque o advogado tem esse papel fundamental na defesa da sociedade e do Estado Democrático de Direito. Outra proposta é a ampliação das ações de transparência na OAB, inclusive colocando para funcionar o Portal da Transparência, que foi aprovado em agosto do ano passado e até agora nada foi divulgado. Além disso, a luta pelo respeito às prerrogativas profissionais e pela garantia e valorização do mercado de trabalho da advocacia, serão constantes. Não é aceitável que se faça justiça sem a presença indispensável do advogado. Fazem parte do nosso programa ações concretas para garantir a participação obrigatória da Advocacia em todos os Centros de Conciliação e Mediação e o combate permanente a todas as formas de redução do mercado de trabalho dos profissionais do direito, bem como o engajamento efetivo da OAB em prol da vedação de criação de novos cursos jurídicos.

Candeia – Qual o balanço final de sua atuação como conselheira estadual e o que espera da nova função?

Aline Fávero – Participar de um órgão colegiado nos traz, sem dúvida nenhuma, uma bagagem profissional imensurável. Ter tido o privilégio de compor o conselho da maior e mais importante secional da OAB do Brasil, foi um grande desafio e um privilégio sem precedentes em minha trajetória profissional, pois tive oportunidade de conviver e aprender muito com grandes lideranças da advocacia de todo o Estado. Me foi muito pesarosa, todavia, a atuação em processos disciplinares, sobretudo nos que versam sobre exclusão de colegas dos quadros da advocacia, porém, além de uma função inerente ao cargo que ocupei nos últimos três anos, é de extrema necessidade à manutenção da ordem de nossa entidade. Assim tive a oportunidade de estudar e conhecer mais de perto todo o funcionamento de nosso Tribunal de Ética e Disciplina. Por fim, o cargo é voluntário, mas os ganhos em experiência, conhecimento e relacionamento, são impagáveis. O balanço é extremamente positivo, certamente muito acrescentará à minha vida profissional e pessoal.

Histórico

Aline Silva Fávero, 43 anos, nasceu em Duartina e formou-se em Direito pela Instituição Toledo de Ensino de Baur8u (ITE). Desde 1999, é advogada militante na Comarca de Bariri; e desde 2000 é assessora jurídica Da Associação Comercial e Industrial de Bariri (Acib). Ministra aulas na disciplina Direito e Legislação no curso técnico Etec/Centro Paula Souza. No biênio 2004/2005 coordenou a Comissão de Assistência Judiciária da OAB de Bariri; e entre 2007 a 2009, foi presidente da Associação cos Advogados de Bariri (AAB). Exerceu deu mandatos à frente da 180ª Subseção da Ordem dos Advogados do Brasil em Bariri/SP. Nos últimos dois anos tem atuação destacada junto `OAB paulista, como conselheira Estadual (2016/2018), conselheira consultiva e coordenadora regional da Comissão de Assistência Judiciária e relatora da 8ª Câmara Recursal da OAB/SP.