Composição 1_1
Composição 1_1

Após 28 dias na fase amarela, as paróquias poderão iniciar a missa com a presença de 30 % da capacidade dos templos – Divulgação

O bispo diocesano de São Carlos, Dom Paulo Cezar Costa, divulgou orientações para retomada de celebrações com a participação dos fiéis. O documento data de 31 de julho, sexta-feira.

As recomendações têm como base o Plano São Paulo em vigor no Estado e documento da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) para as celebrações comunitárias no contexto da pandemia do Covid-19.

A proposta prevê as seguintes ações:

  • Fase vermelha

Celebrações sem povo, sendo autorizado para as missas o padre e uma equipe mínima necessária para realização da celebração. Com transmissão on line.

  • Fase Laranja

As missas seguem sendo transmitias on line, sem a participação presencial do povo, padre celebrando com uma equipe mínima necessária.

Nesta fase é oportuno que o padre treine os demais membros das equipes de liturgia preparando o ambiente celebrativo para receber os fiéis ainda que com redução.

  • Fase Amarela

As missas continuam sendo transmitidas pelos meios de comunicação, o padre segue celebrando com uma equipe mínima necessária e devem se empenhar em preparar as equipes de liturgia, bem como toda estrutura da igreja para receber os fiéis, obedecendo os protocolos sanitários municipais.

Após 28 dias em que o município estiver na fase amarela, as paroquias poderão iniciar a missa com a presença de 30 % da capacidade dos templos.

 

Orientações pastorais

 

De acordo com assessoria de comunicação, preocupação principal é “preservar vidas, e, concomitantemente, corresponder aos anseios sacramentais do Povo de Deus”.

Ainda segundo o documento, as orientações pastorais não têm a intenção de interferir no direito pastoral de cada pároco. “Cada um sabe de sua responsabilidade diante da comunidade, observando sempre os protocolos sanitários e o bom senso”.

Vale ressaltar que os municípios nos quais os decretos municipais contemplam a proibição ou flexibilização de cultos religiosos, as paroquiais devem seguir as orientações sanitárias apresentadas pela cidade.

 

Fonte: Assessoria de Comunicação da Diocese de São Carlos