posto-santa-lucia-novo-2017
Banner-Lista-Candeia
Banner-online
WhatsApp Image 2020-07-06 at 08.28.31
Banner-Cep

Interventor da Santa Casa de Bariri, Marco Antonio Gallo, comenta sobre medidas tomadas para atendimento de casos confirmados e suspeitos no hospital – Robertinho Coletta/Candeia

Alcir Zago

O aumento de casos da Covid-19 em Bariri e também nas cidades de Boraceia e de Itaju nos últimos dias acendeu o alerta na Diretoria Municipal de Saúde.

Cabe a Bariri, por meio da Santa Casa, atender a casos em que há necessidade de procedimentos de enfermaria ou para situações mais graves, como uso de respiradores em unidade intermediária (o hospital não dispõe de Unidade de Terapia Intensiva – UTI).

Em Bariri, os casos da Covid-19 saltaram de 23 para 33 em uma semana, até o fechamento desta edição. Boraceia, que tinha seis moradores positivos para a doença, passou para 14. Itaju registrou oito casos da Covid-19 até o momento.

A diretora municipal de Saúde, Irene Chagas Rangel, diz que há uma preocupação com o crescimento dos registros da doença. Segundo ela, a situação chegou ao ponto de comerciantes entrarem em contato para relatar que pessoas com quadro suspeito (tosse, catarro etc.) estarem frequentando o comércio tranquilamente, sem a devida precaução.

Irene conta que entrou em contato com o Ministério Público (MP) sobre essa situação. A diretora foi informada de que o descumprimento do isolamento social configura crime do artigo 268 do Código Penal (infringir determinação do poder público, destinada a impedir introdução ou propagação de doença contagiosa).

Caso a Polícia Militar tenha conhecimento dos casos positivos e eventualmente flagre as pessoas fora do distanciamento social pode conduzi-las à Delegacia para registro de boletim de ocorrência.

 

Santa Casa

 

Bariri dispõe de duas estruturas para atendimento dos casos de Covid-19. Uma é o ambulatório criado especificamente para a doença, situado no Centro de Saúde.

Outra é a Santa Casa de Bariri. O interventor do hospital, Marco Antonio Gallo, também está preocupado com o avanço da pandemia.

“Com a abertura econômica que houve e com parte da população não colaborando muito, podemos observar o salto que deu nos casos em Bariri”, disse ele em entrevista ao Facebook do Candeia. “A população deve tomar cuidado, tomando medidas de higiene e máscara. O vírus está circulando por aí. Se precisarmos de mais quartos, não iremos ter em curto prazo.”

Gallo conta que quando a doença começou a se propagar a ideia era dispor de oito leitos para casos mais graves de moradores de Bariri, Boraceia e Itaju. “Percebemos que estão tendo muitos casos, sem gravidade, mas que necessitam de internação”, diz o interventor.

Com o aumento acentuado de casos nos últimos dias houve mudança de logística. Dos oito quartos, quatro foram destinados a pacientes graves, mas que não necessitam de cuidados intensivos. O intuito é manter o isolamento deles.

Outro quarto com quatro leitos dispõe de quatro respiradores. Os leitos não foram usados ainda, mas estão prontos. Pacientes com suspeita da Covid-19 devem ficar isolados.

O hospital conta ainda com unidade intermediária para manter o isolamento e realizar a ventilação mecânica pulmonar. Outro espaço onde era depósito nesta semana recebeu mais quatro leitos.

Hoje, a Santa Casa dispõe de 12 leitos preparados para a Covid: quatro em unidade intermediária e oito leitos (enfermaria) para pacientes não tão graves.

Além disso, está sendo reforma em duas alas do hospital. A pediatria irá se transformar em clínica médica. Gallo pediu para a conclusão da obra até o fim de junho. Se houver necessidade essa ala irá abrigar pacientes suspeitos ou com a Covid-19. A outra reforma diz respeito à maternidade.

O interventor diz que é preciso reposição de profissionais. Três enfermeiras do hospital estão afastadas por causa do novo coronavírus. A ideia é utilizar recursos que estão repassados pelo governo federal para essa finalidade.

No momento, a Santa Casa possui oito respiradores. O prefeito Francisco Leoni Neto (PSDB) diz que foram comprados dois, cada um por R$ 85 mil. O dinheiro foi destinado pelas prefeituras de Bariri, Boraceia e Itaju. Os aparelhos devem ser entregues até o fim deste mês, assim como oito monitores.