Composição 1_1
Composição 1_1

Fátima Teresinha Camargo Guimarães, esposa do prefeito de Itaju, Jerri de Souza Neiva, protocolou na Câmara de Itaju denúncia contra o vereador Paulo José Lopes Júnior (PL). Fátima assinou o documento na qualidade de cidadã itajuense.

Segundo ela, a suposta denúncia criminal pode caracterizar quebra do decoro parlamentar e consequente cassação do mandato do vereador.
Fátima relata que Juninho Lopes foi funcionário do deputado federal Luiz Carlos Motta, lotado na Câmara dos Deputados.
Ainda de acordo com ela, ao ser eleito vereador no pleito de 2020, Juninho teria transferido o cargo para a esposa, em 2021, sem nunca ter exercido a função de assessora, configurando a situação como “funcionária fantasma”.
Conforme a Imprensa Oficial da União, a exoneração do então secretário parlamentar ocorreu no dia 1º de julho de 2020. Já a exoneração de Elizandra Carvalho dos Santos foi a partir de 31 de janeiro de 2023, de acordo com a Imprensa Oficial.
A autora da denúncia requereu que Legislativo aprecie o pedido de investigação e que encaminhe o caso ao MP e à Câmara dos Deputados para apuração.
Fátima deve levar o caso para investigação junto à Promotoria de Justiça.

Outro lado

Ao Candeia, o vereador Paulo José Lopes Júnior diz que recebeu nesta quinta-feira (2) a notícia de que a primeira-dama teria entrado com uma denúncia na Câmara Municipal contra ele.
“Não fiquei surpreso, pelo fato que o próprio marido já fez boletim de ocorrência contra mim, mas foi arquivado”, relatou.
Segundo o vereador, em 2022 houve denúncia anônima de mesmo teor, sem ter avançado Elizandra foi ouvida e o procedimento foi arquivado. Juninho Lopes conta que ela não trabalha com o deputado Motta desde 30 de janeiro de 2023, quando foi exonerada do cargo.
“Agora, estranha a denúncia da primeira-dama, que também foi citada pelo promotor na denúncia ao Ministério Público sobre o caso da Latina”, afirma o vereador.
“A primeira-dama fez uma denúncia só depois que o prefeito (e seu marido) foi denunciado por quebra de decoro! Talvez, estão querendo tirar o foco.”
Na sessão de Câmara de segunda-feira (6) ele pretende falar mais sobre o assunto. “De cara, dá para perceber que querem me calar; não vão conseguir”, finaliza.