Slider

Vista aérea de Bariri: cidade vai mal no IFGF Investimentos e bem no IFGF Autonomia – Arquivo/Candeia

Na região, Bariri está apenas à frente de Bocaina quando se trata do Índice Firjan de Gestão Fiscal (IFGF), lançado no dia 31 de outubro pela Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), com base em dados fiscais oficiais de 2018.
Bariri recebeu nota geral 0.5580, o que coloca o município na 334ª colocação no Estado de São Paulo e na 1.799ª posição no País. Na região, o melhor desempenho é de Dois Córregos (confira quadro).
O IFGF faz referência a 2018 e avalia as contas de 5.337 municípios de todo o País, que concentram 97,8% da população brasileira. Construído com base em dados fiscais oficiais, declarados pelas próprias prefeituras, o índice é composto por quatro indicadores: IFGF Autonomia, IFGF Gastos com Pessoal, IFGF Liquidez e IFGF Investimentos.
A metodologia do IFGF considera os quatro indicadores, em que a pontuação adotada varia de 0 a 1 ponto: quanto mais próximo de 1, melhor a situação fiscal do município.
Com base neles, cada cidade é classificada nos conceitos: Gestão de Excelência (resultados superiores a 0,8 ponto); Boa Gestão (resultados entre 0,6 e 0,8 ponto); Gestão em Dificuldade (resultados entre 0,4 e 0,6 ponto); e Gestão Crítica (resultados inferiores a 0,4 ponto).

Investimentos

Em relação a Bariri, desde 2013 a pior nota está no componente IFGF Investimentos, que mede a parcela da receita total dos municípios destinada a melhorias nas cidades. No ano passado, por exemplo, a nota foi 0.0925 (veja quadro). Em 2013, apesar do baixo investimento, a nota era mais elevada: 0.3038.
Em outro item (IFGF Liquidez), o município foi enquadrado como em Gestão com Dificuldade nos últimos três anos. Esse componente trata da relação entre o total de restos a pagar acumulados no ano e os recursos em caixa disponíveis para cobri-los no exercício seguinte.
Quanto ao IFGF Gastos com Pessoal, Bariri melhorou sua nota em 2017 e em 2018, consideradas como Boa Gestão. Em 2016 o município era visto como Gestão em Dificuldade.
No IFGF Autonomia, Bariri sempre teve nota máxima. Trata-se de um componente que verifica a relação entre as receitas oriundas da atividade econômica do município e os custos para manutenção da estrutura administrativa.

Nota de Bariri no IFGF de 2018

Componente              Nota

IFGF                           0.5580

Autonomia                  1.0000

Gastos com pessoal    0.6266

Liquidez                     0.5129

Investimentos             0.0925

Fonte: Firjan

Evolução anual de Bariri no IFGF

Ano                 Nota

2013                0.7007

2014                0.7022

2015                dados não disponíveis

2016                0.5470

2017                0.5641

2018                0.5580

Fonte: Firjan

Notas da região no IFGF de 2018

Cidade              Nota             Posição estadual     Posição nacional

Dois Córregos   0.7956          30º                            224º

Bauru                0.7608          43º                            340º

Itapuí                 0.7280          81º                            492º

Pederneiras        0.6681          151º                          868º

Jaú                     0.6592          162º                          919º

Barra Bonita      0.6524          176º                          975º

Ibitinga              0.6452          184º                          1.024º

Itaju                   0.6435          187º                          1.037º

Boraceia            0.6160          235º                          1.257º

Bariri                0.5580          334º                          1.799º

Bocaina             0.5173          403º                          2.171º

Fonte: Firjan