Composição 1_1
Composição 1_1

Entrevero entre Vaguinho e o médico ocorreu em março de 2020 na Santa Casa de Bariri (Arquivo/Candeia)

Vagner Mateus Ferreira (Vaguinho) foi condenado em ação de indenização por danos morais movida pelo médico Luiz Eduardo Rodrigues de Almeida. A decisão é da juíza Paula Maria Castro Ribeiro Bressan, da 1ª Vara Cível de Jaú. O valor da condenação é de R$ 50 mil, mas cabe recurso da decisão.
O fato ocorreu em março de 2020. Na época, Luiz Eduardo atendia no pronto-socorro da Santa Casa de Bariri em plantões à distância, como ginecologista e obstetra.
Numa ocasião, esteve no hospital, pois uma gestante estaria tendo problemas com seu bebê. Analisando o caso, o médico achou necessário realizar a cesariana, mas a criança nasceu sem vida e com o cordão umbilical ao redor de seu pescoço.
No mesmo dia, Luiz Eduardo e o médico anestesista Jesus Fernando da Costa Júnior falaram sobre o assunto em entrevista coletiva.
Durante a transmissão, Vaguinho, que era vereador, entrou na Santa Casa e passou a ofender o médico, chamando-o de “açougueiro” e que não tinha vergonha “na cara” por estar ali. O médico acabou sendo expulso do hospital por ele.
O vídeo foi anexado ao processo. “Como se pode ver do vídeo em questão, evidente que o requerido ultrapassou os limites do direito à livre manifestação do pensamento, pois as palavras utilizadas, o tom de voz e os gestos ofenderam a honra e a imagem do autor. Inclusive, os fatos ocorreram durante coletiva de imprensa, que era pública e transmitida ao vivo. Portanto, tem-se que o autor foi ofendido pelo réu diversas vezes e perante muitas pessoas. Condutas como estas não podem ser admitidas”, escreveu a magistrada em sua decisão.
Conforme os autos, Vaguinho foi citado pela Justiça, mas não apresentou defesa.