Slider

Silvana, Michele, Elisângela e Alessandra foram assassinadas por amasios em cidades da região – Fotos: Reprodução

O Dia Internacional pela Eliminação da Violência contra a Mulher, celebrado nesta segunda-feira (25), não teve motivos para ser comemorado na região. Em quatro dias, quatro mulheres foram assassinadas em quatro cidades.

O caso mais recente foi o da auxiliar de limpeza Elisângela Fernandes, 40 anos, morta a facadas pelo ex-marido na tarde de domingo (24), no Distrito de Potunduva, em Jaú. Ela vinha compartilhando em sua página no Facebook notícias sobre feminicídios recentes ocorridos na região e relatando o medo de, mesmo com medida protetiva, se tornar uma vítima.

O crime ocorreu às 15h, na rua Francisco do Rego, no bairro Baiano da Bomba. Segundo a polícia, a vítima estava na casa de uma amiga, vizinha do ex-marido, Moisés Gomes Alves, de 39 anos, quando ele foi até o local. O homem teria puxado a ex pelo braço e, na sequência, a esfaqueado no pescoço e abdômen. Elisângela foi socorrida em estado grave pelo Samu, mas chegou morta ao Pronto Atendimento. O autor fugiu, mas foi preso pela Força Tática da PM próximo ao local. Levado ao plantão, ele foi autuado em flagrante pelo delegado Marcel Campi por feminicídio e está à disposição da Justiça.

No fim da noite de sábado (23), manicure Alessandra Cristina Robledo Florino de 40 anos foi morta a facadas pelo marido dentro da própria residência, na rua Luiz Wolf, Vila Esperança, em Pirajuí. O suspeito, o vigilante Alex Aparecido Cardoso, de 36 anos, fugiu, mas foi preso pela Polícia Militar (PM) na manhã desta segunda-feira (25). O crime ocorreu por volta das 23h na casa onde a vítima morava com o marido, a filha do casal, de apenas seis meses, e um filho da vítima de um relacionamento anterior, de 13 anos.

Além das ocorrências registradas neste final de semana em Jaú e Pirajuí, outros dois casos ocorreram na semana passada em Dois Córregos e Agudos.

Em Agudos, na tarde da última quinta-feira (21), o corpo de Silvana Augusto Jesus, 31 anos, foi encontrado enterrado no quintal da casa onde ela morava, na rua Rubens de Almeida Françoso, Jardim Santa Angelina. Ela tinha perfurações causadas por faca no abdômen, mãos e braços.

O companheiro dela, Luis Fernando Maroni Goehring, de 38 anos, principal suspeito do crime, foi preso pela Polícia Militar (PM) e autuado em flagrante por feminicídio e ocultação de cadáver. Na sexta-feira (22), na audiência de custódia, a justiça converteu o flagrante em prisão preventiva.

Também na sexta-feira, em Dois Córregos, Michele de Godoy Patrício, 30 anos, foi morta com golpes de faca no abdômen e tórax no cruzamento da Avenida Bauru com a Rua Rio Claro, no Jardim Paulista. O principal suspeito é o ex-marido dela (o nome não foi divulgado), da mesma idade.

Segundo a Polícia Civil, ele não aceitava o fim do relacionamento e, mesmo com medida protetiva concedida pela justiça a favor da vítima, recentemente, chegou a ameaçá-la. Preso em flagrante, foi solto na audiência de custódia.

No último dia 14, Adrielli Eduarda Rodrigues da Cruz, de 22 anos, foi morta a tiros pelo ex-namorado, em São Manuel, logo após deixar a delegacia, onde havia registrado um boletim de ocorrência (BO) contra ele por descumprimento de medida protetiva.

No dia seguinte, após cerca de três horas de negociações, o suspeito, Cristiano Gomes, 30 anos, foi preso pela Polícia Civil nas imediações da casa de sua mãe, na Vila São Geraldo. A prisão foi acompanhada pelo advogado dele. Cristiano teve a prisão temporária decretada por 30 dias.

Suspeito preso

O homem de 30 anos suspeito de matar a ex-mulher a facadas na última sexta-feira (22), em Dois Córregos foi preso pela Polícia Civil na manhã desta terça-feira (26). Com prisão temporária decretada pela justiça por trinta dias a pedido do delegado Márcio Leandro Moretto, ele foi ouvido na delegacia e, posteriormente, encaminhado à uma unidade prisional da região.

Fonte: Jcnet