Composição 1_1
Composição 1_1

Desembargador da 2ª Câmara de Direito Criminal não havia concedido habeas corpus também aos empresários Abílio e Paulo Ricardo – Divulgação

O desembargador Alex Zilenovski, da 2ª Câmara de Direito Criminal do Tribunal de Justiça (TJ) de São Paulo, negou habeas corpus (HC) ao capitão da Polícia Militar (PM) Alexandre Gonçalves, preso preventivamente sob acusação de ter participação de roubo e coação no curso do processo contra o empresário Fábio Yang em 2 de junho deste ano.
Anteriormente, o mesmo desembargador não havia concedido HC em favor dos empresários Paulo Ricardo Barboza e Abilio Giacon Neto, respectivamente, proprietários das empresas Latina Ambiental e Mazo & Giacon.
A defesa de Alexandre sustentou junto ao TJ que ele é primário, não tem antecedentes desabonadores, além de ser trabalhador e possuir residência fixa e vínculos familiares no distrito da culpa, ausentes indícios de que pretenda se furtar a eventual aplicação da lei penal.
Ainda segundo os advogados, o capitão “estaria sendo acusado injustamente, negando veementemente envolvimento nas práticas delitivas. Aponta que não houve reconhecimento de sua participação no crime patrimonial, não foi preso em flagrante e nem surpreendido na posse de qualquer pertence da vítima”.
Segundo decisão monocrática de Zilenovski, os autos indicam que as investigações apontaram que Alexandre teria sido executor do delito patrimonial praticado com objetivo de coagir a testemunha Fábio Yang. Agora, caberá à 2ª Câmara de Direito Criminal analisar o HC.