Composição 1_1
Composição 1_1

Vinicius Farah Ferrari e meteoro capturado por ele no início da semana (Divulgação)

O baririense Vinicius Farah Ferrari, 28 anos, faz parte da Bramon (Brazilian Meteor Observation Network), em português: Rede Brasileira de Observação de Meteoros.
Trata-se de uma organização composta por mais de cem astrônomos amadores ou profissionais dedicados ao monitoramento e estudo de meteoros e meteoritos no Brasil.
Vinicius é arquiteto e pós-graduado em Gestão de Negócios e Engenheiro de Segurança do Trabalho. Em 2018 fez curso de Astrofísica pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).
Quando tinha 5 anos de idade teve início sua paixão em observar os céus noturnos e a lua (Selenofilia).
Aos 10 anos visitou o Centro de Estudos do Universo (CEU), situado em Brotas, onde até hoje o planetário opera.
Lá, ele viu pela primeira vez o planeta Saturno e seus anéis e luas. “A partir daí, quase todo fim de semana eu pedia para meu pai me levar até o aeroclube de Bariri para observar a lua e alguns planetas, pois lá tinha um telescópio”, lembra.
Agora, Vinicius realizou o sonho de criança de fazer parte de organização que tem relação com estudos do universo. Foi aí que conheceu a Bramon.
No início dessa semana ele filmou um meteoro que caiu no Brasil, sendo que sua estação está pareada com outras cidades de São Paulo e de outros estados.

Como participar

A rede foi fundada em 2014 e desde então tem contribuído para a pesquisa e divulgação científica sobre meteoros.
Opera através de um sistema colaborativo, em que membros instalam câmeras e outros equipamentos de observação. Essas câmeras capturam imagens e vídeos de meteoros e fenômenos atmosféricos, que são então analisados para determinar suas trajetórias, velocidades e outras características importantes.
A organização também participa de campanhas de observação em eventos astronômicos importantes, como chuvas de meteoros. A rede também tem influência na Rede Mundial de Observação de Meteoros.
Além de suas atividades de pesquisa, a Bramon também se dedica à educação e divulgação científica, promovendo palestras, workshops e eventos públicos para aumentar o interesse e o conhecimento sobre astronomia e meteoros entre o público geral.
Vinicius conta que para se tornar um membro é simples. A única exigência é ter os equipamentos para realizar as capturas. Basicamente, a pessoa precisa de uma câmera de segurança modificada, um computador e conexão com a internet. Basta configurar tudo em um aplicativo específico que a Bramon recomenda e depois vem o credenciamento da estação. O instagram da bramon é @bramonmeteor.