Slider

Desde o dia 11 de fevereiro, a Caixa Econômica Federal (CEF) e o Banco do Brasil liberaram os saques do abono salarial PIS-Pasep 2020-2021 – Divulgação

A Caixa Econômica Federal (CEF) e o Banco do Brasil liberaram a partir do dia 11 de fevereiro, quinta-feira, os saques do abono salarial PIS-Pasep 2020-2021 para os trabalhadores nascidos entre março e junho (do setor privado, que recebem o PIS) e aqueles com número de benefício com final 6 a 9 (do setor público, que recebem o Pasep).

Esses valores já foram creditados no último dia 9:

  • para os trabalhadores do setor público: em conta corrente no Banco do Brasil
  • para aqueles que são correntistas do banco
  • para os trabalhadores do setor privado: em conta corrente para quem já é correntista da Caixa, ou em conta poupança digital (Caixa TEM, a mesma usada
  • para pagar o auxílio emergencial), criada gratuita e automaticamente.

O calendário de pagamentos começou ainda em 2020 e leva em consideração o mês de nascimento, para trabalhadores da iniciativa privada (PIS), e o número final da inscrição, para servidores públicos (Pasep).

 

Como sacar

 

Para quem recebe o PIS, caso a Caixa não tenha podido creditar o valor do abono salarial em conta existente ou em Conta Poupança Social Digital, o trabalhador poderá realizar o saque com o Cartão do Cidadão e senha nos terminais de autoatendimento, unidades lotéricas e nos Correspondentes Caixa Aqui, bem como nas agências a partir desta quinta.

Para quem recebe o Pasep, os recursos podem ser sacados diretamente nas agências do Banco do Brasil, também a partir desta quinta.

Tanto no caso do PIS quanto do Pasep, os recursos ficarão à disposição dos trabalhadores até 30 de junho de 2021, prazo final para o recebimento.

O valor do PIS-Pasep 2020-2021 varia de R$ 92 a R$ 1.100, dependendo do período trabalhado formalmente em 2019.

O calendário de pagamentos dos últimos lotes foi antecipado pelo governo federal em 1 mês. Inicialmente, os trabalhadores nascidos em maio e junho receberiam os valores devidos a partir do dia 17 de março.

 

Fonte: G1 Economia