Slider

Para Roberto Coletta, presidente da Acib, os dados demonstram que 2019 foi um ano difícil em termos de recuperação de crédito – Arquivo/Candeia

De acordo com dados do Serviço Central de Proteção ao Crédito (SCPC), da Associação Comercial e Industrial de Bariri (Acib), em 2019 houve 2.132 inclusões de inadimplência realizadas pelo comércio em Bariri. O número é 8,6% maior que o ano anterior, quando foram incluídas 1.963 negativações.
Ainda segundo o levantamento, em termos de valores o índice de inadimplência em Bariri cresceu 10,8%. Em 2018, as inclusões representavam dívida ativa de R$ 815,60 mil. Em 2019, as negativações somaram R$ 903,75 mil.
Como consequência do aumento de endividamento, houve queda de -11,8% no número de exclusões do sistema (quando o consumidor endividado quita a sua dívida). Segundo os dados, em 2018 os comerciantes retiraram 2.486 devedores do SCPC; em 2019 os excluídos foram 2.192.
Em termos de valores, em 2019, as exclusões representaram a recuperação financeira de R$ 1.014,03 milhão. O valor é semelhante ao obtido em 2018, quando voltaram à movimentação financeira R$ 1.060,88 milhão.
Nos dois anos acumulados, a diferença entre os valores incluídos (R$ 1,719 milhão) e os excluídos (R$ 2,027 milhões) é de R$ 355,56 mil de valores recuperados para a movimentação financeira do comércio.
Para José Roberto Dalla Coletta, presidente da Acib, os dados demonstram que 2019 foi um ano difícil em termos de recuperação de crédito. “Se em 2018, recuperou-se R$ 235,28 mil, o valor atingiu somente R$ 110,28 em 2019”, ele destaca.
Ele ressalta que o valor da dívida média incluída em 2018 foi de R$ 668,52, quantia inferior a 2019, que registrou R$ 740,78. Em termos de valores, a dívida média recuperada em 2019 é de R$ 875,67, menor que em 2018 que somava R$ 916,13.
Mesmo assim, Roberto Coletta considera positivo o fato de que, em dois anos, R$ 355,56 mil voltaram a circular no comércio local, recuperados pelo sistema.

Sexo e idade

De acordo com o serviço de crédito da Acib, o número de mulheres consumidoras incluídas do rol de devedores vem aumentando e hoje é maior que o dos homens.
Em 2019, 751 mulheres negativaram o crédito, cerca de 62,4% do total de devedores (1.202). Os homens somaram 388 inclusões (32,2%).
Se comparado com 2018, a participação do sexo feminino nas inclusões aumentou 27,5%. Naquele ano, as mulheres representavam 45,6% dos devedores e os homens 48%. De 5 a 6% dos registros do SCPC não contêm informação sobre o gênero do consumidor.
No que diz respeito à faixa etária dos devedores, a taxa de jovens consumidores entre 24 e 29 anos foi a que mais cresceu entre um ano e outro. Em 2018, exatos 143 deixaram de honrar a dívida; em 2019, o número de endividados nessa faixa de idade subiu para 177.
Entre o grupo de consumidores que recuperaram o crédito, a faixa etária de melhor desempenho são os adultos maiores de 48 anos. Em 2019, 306 foram incluídos no SCPC, contra 371 no ano anterior, ou seja, queda de -17,5%.
Do modo geral, o levantamento que leva em conta o sexo (-6,8%) e a faixa etária (-5%) aponta redução no número de incluídos no sistema.

Dados do Serviço Central de Proteção ao Crédito

Fonte: Associação Comercial e Industrial de Bariri