Slider

Agências bancárias situadas no centro de Bariri: município tem a segunda maior poupança per capita na região – Arquivo/Candeia

O ano de 2020, marcado pela pandemia da Covid-19, representou alta captação de recursos em caderneta de poupança em 2020, no comparativo com 2019. O mesmo cenário foi observado no país como um todo (veja box).

Os dados consolidados por município do ano passado foram disponibilizados nessa semana pelo Banco Central.

Para realizar o comparativo, o Candeia utiliza os dados de dezembro de 2019 e de dezembro de 2020.

Nesse intervalo de um ano, o estoque de poupança em Bariri cresceu 13,1%. O montante era de R$ 266,6 milhões em dezembro de 2019, e passou para R$ 301,7 milhões um ano depois. Se o estoque aumentou, significa que mais recursos entraram na caderneta de poupança e, em contrapartida, os saques foram em menor montante.

Em outras cidades da região o estoque também aumentou de dezembro de 2019 a dezembro de 2020.

A única exceção foi Itapuí, com queda de 40,4%. No entanto, em dezembro de 2018 o estoque era de R$ 41,8 milhões. O bolo depositado passou para R$ 81,3 milhões em dezembro de 2019 e um ano depois caiu para R$ 48,4 milhões. A impressão é que o dado divergente é de dezembro de 2019.

Até 2018 Itaju aparecia na relação do Banco Central, mas não consta mais. Segundo a assessoria de imprensa do órgão, não foram identificadas agências em Itaju, mas apenas postos avançados de atendimento (Banco do Brasil e Bradesco).

A Agência do Banco do Brasil em Itaju foi encerrada em agosto de 2019, período em que um Posto Avançado de Atendimento do BB em Itaju (vinculado à Agência BB Itapuí) iniciou suas atividades.

Em relação à poupança per capita, Bariri ocupa a segunda colocação na região. Dividindo-se a quantidade depositada em todas as agências da cidade pela população, o município possui média de R$ 8,4 mil por morador. Em Barra Bonita, a relação é maior, com per capita de R$ 9,4 mil.

 

Captação recorde no Brasil

 

Aplicação financeira mais tradicional dos brasileiros, a caderneta de poupança tem atraído cada vez mais o interesse dos brasileiros. Em 2020, os investidores depositaram R$ 166,31 bilhões a mais do que retiraram da aplicação, segundo o Banco Central (BC).

O resultado é o maior já registrado para um ano desde o início da série histórica, em 1995. Em 2019, a captação líquida – diferença entre depósitos e retiradas – tinha ficado em R$ 13,33 bilhões. O recorde anterior tinha sido registrado em 2013, quando a aplicação financeira tinha captado R$ 71,05 bilhões.

Apenas em dezembro de 2020, os brasileiros depositaram R$ 20,61 bilhões a mais do que sacaram da poupança. O valor é recorde para o mês desde o início da série histórica. Tradicionalmente, os brasileiros depositam mais na caderneta em dezembro, por causa do pagamento da segunda metade do décimo terceiro salário.

A aplicação começou 2020 no vermelho. Em janeiro e fevereiro, os brasileiros retiraram R$ 15,93 bilhões a mais do que depositaram. A situação começou a mudar em março, com o início da pandemia da Covid-19, quando os depósitos passaram a superar os saques.

O interesse dos brasileiros na poupança se mantém apesar da recuperação da bolsa de valores nos últimos meses. Nos dois primeiros meses da pandemia, as turbulências no mercado financeiro fizeram investidores migrar para a caderneta. As oscilações do Tesouro Direto também ajudaram a atrair investidores para a segurança da caderneta, mesmo o rendimento sendo menor.

 

Rendimento

 

Com rendimento de 70% da Taxa Selic (juros básicos da economia), a poupança atraiu mais recursos mesmo com os juros básicos nos menores níveis da história e com a aplicação perdendo para a inflação. Com as recentes reduções na taxa Selic e o repique no valor de diversos alimentos, o investimento passou a render menos que os índices de preços.

Em 2020, a aplicação rendeu 2,11%, segundo o Banco Central. No mesmo período, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor-15, que funciona como prévia da inflação oficial, atingiu 4,23%.

Para 2021, o boletim Focus, pesquisa com instituições financeiras divulgada pelo Banco Central, prevê inflação oficial de 3,32% pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo. Com a atual fórmula, a poupança renderá apenas 1,4% até o fim deste ano, caso a Selic de 2% ao ano fique em vigor ao longo de todo o ano.

 

Histórico

 

Até 2014, os brasileiros depositaram mais do que retiraram da poupança. Naquele ano, as captações líquidas chegaram a R$ 24 bilhões. Com o início da recessão econômica, em 2015, os investidores passaram a retirar dinheiro da caderneta para cobrir dívidas, em um cenário de queda da renda e de aumento de desemprego.

Em 2015, R$ 53,57 bilhões foram sacados da poupança, a maior retirada líquida da história. Em 2016, os saques superaram os depósitos em R$ 40,7 bilhões. A tendência inverteu-se em 2017, quando as captações excederam as retiradas em R$ 17,12 bilhões, e em 2018, com captação líquida de R$ 38,26 bilhões. Em 2019, a poupança registrou captação líquida de R$ 13,23 bilhões.

 

Fonte: Agência Brasil

 

Poupança per capita na região

 

 

Cidade                Estoque de poupança – dezembro/2020      População estimada em 2020        Per capita

Bariri                   R$ 301.775.640,00                                          35.558                                              R$ 8.486,00

Barra Bonita        R$ 342.460.293,00                                          36.126                                              R$ 9.479,00

Bauru                   R$ 2.490.854.844,00                                       379.297                                            R$ 6.567,00

Bocaina                R$ 45.042.955,00                                            12.452                                              R$ 3.617,00

Boraceia               R$ 11.863.237,00                                            4.868                                                R$ 2.436,00

Dois Córregos     R$ 187.002.935,00                                          27.512                                              R$ 6.797,00

Itapuí                   R$ 48.442.004,00                                            14.147                                              R$ 3.424,00

Jaú                       R$ 956.746.250,00                                          151.881                                            R$ 6.299,00

Pederneiras          R$ 252.233.603,00                                          47.111                                              R$ 5.354,00

 

Fontes: Banco Central e IBGE

 

 

Variação do estoque da poupança em 12 meses

 

Cidade                 Estoque de poupança – dezembro/2019 Estoque de poupança – dezembro/2020    Variação(%)

Bariri                    R$ 266.642.652,00                                 R$ 301.775.640,00                                    13,1

Barra Bonita         R$ 294.437.735,00                                 R$ 342.460.293,00                                    16,3

Bauru                   R$ 2.114.519.497,00                              R$ 2.490.854.844,00                                 17,7

Bocaina                R$ 39.030.721,00                                   R$ 45.042.955,00                                      15,4

Boraceia               R$ 10.728.230,00                                   R$ 11.863.237,00                                      10,5

Dois Córregos      R$ 169.611.847,00                                 R$ 187.002.935,00                                    10,2

Itapuí                   R$ 81.343.366,00                                   R$ 48.442.004,00                                      -40,4

Jaú                       R$ 852.868.061,00                                 R$ 956.746.250,00                                    12,1

Pederneiras          R$ 213.131.661,00                                 R$ 252.233.603,00                                    18,3

 

Fonte: Banco Central