Slider

De acordo com a contadora da prefeitura Zilta, o próximo prefeito irá dispor no ano que vem de orçamento estimado em R$ 106 milhões – Divulgação

Dia 26, quinta-feira, às 17h30, na Câmara Municipal, ocorre audiência pública para deliberação e aprovação de alterações no Plano Plurianual 2018/2021 (PPA) e na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para constituição da Lei Orçamentária Anual 2021 (LOA).

De acordo com levantamento apresentado pela contadora da prefeitura Zilta de Cassia Silvestre Callegari, o prefeito eleito Abelardo Martins Simões Filho (MDB), que assume a gestão municipal a partir de 1º de janeiro, irá dispor no ano que vem de orçamento estimado em R$ 106 milhões. O montante é 2% maior que o previsto para 2020 (R$ 103,8 milhões).

A projeção define o orçamento da administração direta e do Serviço de Água e Esgoto do Município de Bariri (Saemba). O projeto deve ser discutido e votado na Câmara Municipal.

Segundo Zilta, o orçamento para 2021 está mais dentro da realidade financeira do município de Bariri. Setores como Educação e Saúde ficaram com recursos abaixo do necessário neste ano. Por esse motivo, houve necessidade de publicação de decretos para o remanejamento de receita.

Paralelo a isso, é preciso justificar a necessidade de retirar recursos de uma pasta e realocar para outra.

Para Educação, o montante a ser investido em 2021 subiu 2,7%). Na área de Saúde a estimativa de gasto é ainda maior: 4,9%.

Como os percentuais nessas duas pastas estão acima do previsto para o reajuste do orçamento como um todo, outras áreas irão perder receita, como Assistência Social (7,6% a menos), Cultura (58% a menos) e Desporto e Lazer (25% a menos).

Conforme a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), o princípio do equilíbrio fiscal significa que todas as despesas fixadas devem estar cobertas pelas receitas previstas.