Composição 1_1
Composição 1_1

No ano passado Bariri registrou alta na captação de recursos em caderneta de poupança no comparativo com 2020.
Os dados consolidados por município do ano passado foram disponibilizados no início deste mês pelo Banco Central.
Para realizar o comparativo, o Candeia utiliza os dados de dezembro de 2020 e de dezembro de 2021.
Nesse intervalo de um ano, o estoque de poupança em Bariri cresceu 3,9%. O montante era de R$ 301,7 milhões em dezembro de 2020 e passou para R$ 313,7 milhões um ano depois.
Se o estoque aumentou, significa que mais recursos entraram na caderneta de poupança e, em contrapartida, os saques foram em menor quantidade.
Em relação a outros municípios da região, Bauru e Itapuí registraram mais saques que depósitos (veja quadro).
No caso de Itapuí, no fim de 2020 o BC disponibilizava informações do Banco do Brasil (BB) e do Santander. Já no fim de 2021 aparecia somente o Santander.
Uma possibilidade é que, assim como Itaju, Itapuí passou a ter apenas posto avançado do BB. Dessa forma, os dados bancários do município deixam de ser informados.
Em relação à poupança per capita, Bariri ocupa a segunda colocação na região. Dividindo-se a quantidade depositada em todas as agências da cidade pela população, o município possui média de R$ 8,7 mil por morador (confira no quadro). Em Barra Bonita, a relação é maior, com per capita de R$ 9,7 mil.

Inflação faz poupança perder rentabilidade

Com a inflação oficial do país fechada em 10,06% em 2021, a poupança encerrou o ano de 2021 com a pior rentabilidade real em 31 anos, segundo dados da provedora de informações financeiras Economatica.
Descontada a inflação, a caderneta teve um rendimento negativo de 6,37% em 2021. Foi o pior retorno desde 1990, quando o rendimento real (descontado o IPCA) foi de -22,44%.
Trata-se também do terceiro ano seguido de perda do poder aquisitivo para o poupador que deixa o dinheiro na modalidade. Em 2020, a poupança teve retorno negativo de 2,30%.
Em 32 anos a poupança teve perda de poder aquisitivo em oito oportunidades, de acordo com o levantamento. O melhor resultado foi registrado em 1995, com ganho de poder aquisitivo de 14,68% no ano.
Com a inflação de dois dígitos, as principais aplicações financeiras tiveram rentabilidade real negativa em 2021. Segundo a Economatica, o Ibovespa, por exemplo, teve retorno de -19,98 no ano passado, descontado o IPCA de 2021.
Segundo o Banco Central, os saques na caderneta de poupança superaram os depósitos em R$ 35,4 bilhões em 2021.
Além da rentabilidade negativa, a retirada de recursos também ocorreu em um cenário de queda da renda e corrosão do poder de compra dos brasileiros.
Mesmo com a perspectiva de desaceleração da inflação em 2022, analistas destacam que a poupança deverá continuar perdendo para a inflação. Ao menos no curto prazo.

Fonte: G1

Agências bancárias no centro de Bariri: mais depósitos que saques em 2021 em comparação ao ano anterior | Alcir Zago/Candeia

Da Redação