Slider

Empresa pretende produzir 50% de etanol e 50% de açúcar, mantendo o foco na prevenção do novo coronavírus – Divulgação

A Della Coletta Bioenergia (DC Bio) iniciará na segunda-feira (12) a moagem de cana-de-açúcar para produção de etanol e açúcar ao longo de 2021.

De acordo com o presidente do conselho administrativo da empresa, José Roberto Dalla Coletta, serão empregados cerca de 950 trabalhadores, o mesmo número da safra passada.

A DC Bio tem perspectiva de manter a mesma moagem de cana da safra passada, com 50% da produção para etanol e a outra metade para açúcar.

Em relação ao preço do álcool na bomba de combustível, Roberto Coletta acredita que o andamento da safra terá impacto positivo ao consumidor.

“Via de regra e de mercado, o preço do etanol deve baixar na bomba, tendo em vista que a oferta do produto é mais ampla, ao contrário da entressafra, em que poucas usinas têm estoque para vender”, diz ele.

 

Covid-19

 

Na safra passada a empresa precisou adotar normas sanitárias em relação a funcionários, fornecedores etc. quanto ao novo coronavírus.

A supervisora de Assistência Saúde da DC Bio, Silvia Regina Martins Ferreira Lopes, explica que até o momento a empresa tem conseguido conviver com a pandemia e manter as atividades, em função do protocolo adotado.

Em março do ano passado a indústria realizou as primeiras orientações alinhadas com os médicos do trabalho em relação às precauções-padrão (higienização das mãos, desinfecção dos ambientes, distanciamento social indicado, evitar aglomerações), uso obrigatório de máscaras e atenção aos sinais e sintomas.

As mesmas orientações foram tratadas pela equipe, que repassou as informações em todos os setores e complementou o trabalho com materiais didáticos e ilustrativos em painéis anexados em pontos estratégicos.

A supervisora conta que também houve a redução de pessoas nos ônibus e a higienização constante. Álcool 70% foi colocado em todos os pontos estratégicos.

Outro ponto positivo foi que em 20 de março de 2020 houve a instauração do Comitê de Crise para gerenciar e acompanhar tanto a evolução da doença como o controle interno. No início as reuniões foram diárias e, posteriormente, semanais.

A empresa também adotou a realização de testes em seus colaboradores, em casos suspeitos, conforme critério médico, com o objetivo de identificar precocemente a contaminação pelo novo coronavírus, além de estar alinhada aos protocolos de medicações e outros exames para complemento do diagnóstico.

Toda a ação e o controle ficaram a cargo do departamento de Segurança e de Medicina do Trabalho.

Silvia conta que para este ano o trabalho permanece focado na conscientização aos funcionários sobre a atenção aos sinais e sintomas do novo coronavírus e a obrigatoriedade do uso de máscaras, distanciamento social, higienização das mãos e a disponibilidade de álcool 70% em todos os setores da empresa, sendo essas medidas intensificadas através do diálogo diário de segurança.